PUB
Tirem as obras da gaveta!
Segunda-feira, Maio 29, 2006

A Fábrica de Escrita, primeira Escola de Escritores do país, que abriu portas há cerca de duas semanas, vai instituir, durante o próximo mês de Junho, um Prémio Literário. Mais uma vez com o objectivo de trabalhar em prol da criação literária, a “Fábrica” pretende, desta vez, convidar todos aqueles que têm os seus escritos […]

A Fábrica de Escrita, primeira Escola de Escritores do país, que abriu portas há cerca de duas semanas, vai instituir, durante o próximo mês de Junho, um Prémio Literário. Mais uma vez com o objectivo de trabalhar em prol da criação literária, a “Fábrica” pretende, desta vez, convidar todos aqueles que têm os seus escritos guardados na gaveta a retirá-los de lá e a submeterem-nos a apreciação.

O vencedor do concurso literário irá ver a sua obra publicada e terá direito, ainda, a uma inscrição grátis na Escola. O júri irá ser composto por um editor, um escritor e um crítico literário, que terão até ao final do mês de Outubro para deliberarem. O nome do vencedor será anunciado a 10 de Outubro.

Pedro Chagas Freitas, mentor da Fábrica de Escrita, é bem claro nos objectivos que pretende atingir com mais esta iniciativa. “É mais que sabido que muita gente guarda religiosamente os seus escritos e que, um dia, gostaria de os ver publicados. É agora altura de o tentarem efectuar. Acreditamos que serão muitos aqueles que nos enviarão as suas obras e que procurarão alcançar esse sonho. Por outro lado, julgamos, também, que esta iniciativa poderá servir para que muitas pessoas procurem escrever para este prémio em específico, uma vez que terão cerca de três meses de prazo para enviarem os seus textos. É sempre bom, entre aspas, obrigar as pessoas a escrever, ou simplesmente dar-lhes um motivo para o fazerem. Acima de tudo, e mais uma vez, o grande objectivo é cativar a escrita e a importância que ela assume em todas as vertentes da nossa vida…”

Para concorrerem a este prémio, os interessados deverão visitar o site da “Fábrica”, em www.fescrita.blogspot.com, onde encontrarão todas as informações e o regulamento do concurso.

Em paralelo, a Fábrica de Escrita, em mais uma iniciativa inédita, encontra-se em negociações com um conhecido cineasta português, sediado em Lisboa, no sentido de estabelecer um protocolo que permita que os alunos mais voltados para o guionismo possam realizar um estágio profissional numa produtora e possam, assim, ver as suas ideias transpostas para o grande ecrã. As negociações decorrem em bom ritmo e espera-se fumo branco muito em breve.

Entretanto, já são conhecidos três dos nomes que colaborarão com Pedro Chagas Freitas nas sessões da Escola de Escritores da “Fábrica”. São eles o escritor e dramaturgo Teixeira Moita, o crítico literário brasileiro Paulo Polzonoff Jr. e ainda o escritor Fernando José Rodrigues.

Artigos Relacionados