Taipas-Turitermas contesta posição do PSD de Guimarães
Sexta-feira, Julho 22, 2011

A direcção da Taipas-Turitermas não compreende a tomada de posição pública do PSD vimaranense relativamente ao facto de a Câmara Municipal de Guimarães ter aprovado um aumento de capital desta cooperativa.

Como demos conta, a Câmara Municipal de Guimarães votou na reunião do executivo, realizada no dia 14 de Julho, um aumento da sua participação no capital da Taipas-Turitermas, no valor de 150 mil euros. O PSD votou contra esse aumento e, posteriormente, justificou essa posição por discordar da “utilização de meios públicos em prol de objectivos partidários”.

A direcção da Taipas-Turitermas refere que nunca viu o PSD ter a mesma posição relativamente às outras cooperativas de Guimarães, questionando se é “por serem Cooperativas da cidade” ou se o PSD de Guimarães não pretende “o desenvolvimento da Vila das Taipas”.

Esta tomada de posição chama a atenção para o facto de o PSD de Guimarães não estar em sintonia com tomadas de posição desse mesmo partido em sede de reunião de executivo municipal, de assembleia municipal e mesmo com o executivo da Junta de Freguesia de Caldelas ou com o PSD taipense. “O representante local do PSD manifestou através da imprensa o bom desempenho do Presidente e da Direcção da Taipas-Turitermas, em funções, e ainda a concordância com a transferência de verbas do município para a Cooperativa. Ao jornal Reflexo de Janeiro de 2010 dizia o Sr. Presidente da Junta da Freguesia de Caldelas, eleito pelas listas do PSD: Oxalá que os 500 mil euros para a Turitermas se multipliquem”.

Por tudo isto, a direcção da empresa termal considera “muito estranho” que o PSD de Guimarães possa questionar e discordar da transferência de um montante que foi, no ano de 2010, “aplicado na recuperação dos Banhos Velhos e que em 2011 será aplicado na recuperação do Polidesportivo, das Piscinas e das Termas”.

A Cooperativa Taipas Turitermas refere que não está nos seus interesses “o campo da disputa partidária” e que tem uma missão clara, “gerir e desenvolver o património turístico local sem enjeitar uma participação pelas condições naturais e históricas na área da saúde e bem-estar”.

Acrescenta ainda que é uma Cooperativa operacionalmente auto-suficiente, mas que do ponto de vista dos investimentos considera fundamental a “ajuda do município”, tal como “aconteceu com a construção do Multiusos e do Complexo de Piscinas de Guimarães, do Vila Flor ou do teleférico de Guimarães”, investimentos suportados pela Câmara Municipal de Guimarães.

A Taipas-Turitermas lembra que apresenta “o único balneário do Vale do Ave em funcionamento” e que não desempenha, como o PSD afirmou, “funções com uma amplitude própria dos organismos institucionais”, não deixando de acrescentar que, “porventura só agora faz, o que já há muito tempo deveria ser feito”.