PUB
Taipas Termal a nova imagem das termas de Caldas das Taipas
Quarta-feira, Abril 6, 2011

Com o lançamento de um novo logo, de uma nova marca e de uma nova imagem institucional, a Taipas-Turitermas, como afirma o seu presidente da direcção, Ricardo Costa, pretende “criar um novo impulso, um novo posicionamento perante os parceiros e perante o mercado”.

Na sessão de apresentação da Taipas Termal, ocorrida no dia um de Abril, Ricardo Costa contou com a presença do presidente da Câmara Municipal de Guimarães, António Magalhães e do seu vice-presidente, Domingos Bragança, num sinal claro do apoio aos projectos em que a Taipas-Turitermas está envolvida.

Ricardo Costa fez questão de salientar a disponibilidade camarária na profunda transformação que o património e serviços da cooperativa estão a atravessar, “Estamos envolvidos em várias frentes e temos consciência que isto tudo só é possível com a envolvência e apoio total da Câmara Municipal”.

António Magalhães referiu que terá existido alguma relutância, mesmo no seu grupo de trabalho, nesta aposta, mas que o desenvolvimento destes projectos somente pecará por tardio, “O maior problema que vamos ter é a dimensão do projecto e a sua sustentabilidade. Vamos fazer um esforço grande, em termos orçamentais para lá chegar mas o toque de qualidade e de excelência irá permitir o êxito destes projectos da Taipas Termal”.

Perspectivando a discussão que se gera com a concretização deste tipo de projectos, António Magalhães defendeu a mudança, “Os projectos de qualidade é que têm futuro, o rotineiro pode dar votos em períodos eleitorais mas está condenado em termos de sustentabilidade. Projectos de excelência até podem ser mal compreendidos em primeira instância pelas massas, não dão tantos votos. Mas quem se preocupa em projectar o futuro não pode ficar preso a esses factores. Quem inova que conte, pela certa, com a crítica, mesmo que seja inovação de qualidade”.

A Taipas-Turitermas, no âmbito da Taipas Termal, delineou seis áreas estratégicas, cada uma com o seu identificador, com posicionamentos próprios e projectos distintos. Os Banhos Velhos sofreram uma intervenção que permite, actualmente, acolher uma programação cultural que se estenderá até ao mês de Setembro. A construção de um novo polidesportivo, a arrancar ainda este ano, com a possibilidade de acolher 750 espectadores, será a obra emblemática que irá marcar a intervenção no parque de lazer. Inserido neste parque está a zona do campismo que sofrerá uma requalificação das suas infra-estruturas, tendo como objectivo uma maior frequência e a sua abertura ao longo de todo o ano. A zona das piscinas tem um projecto ambicioso, onde está perspectivada a construção de uma piscina coberta que permitirá o seu funcionamento durante todo. A nível da fisioterapia, a Taipas Termal tem projectada a construção de um edifício autónomo, vocacionado para a medicina física e reabilitação e com capacidade para acolher novas especialidades médicas.
Finalmente, as Termas e SPA têm já em curso um projecto de execução e de requalificação do edifício dos Banhos Novos. Trata-se de uma aposta forte e a Taipas Termal pretende que seja um motor de uma forte dinâmica que ultrapassa a dimensão regional.

Como frisou o presidente da Câmara Municipal, este projecto tem de ter “uma maior ambição em termos geográficos” e não esqueceu o que se passa em Vizela, “Diria que, infelizmente para todos nós, existem condições excepcionais, e digo infelizmente porque os vizinhos de Vizela não conseguiram até agora dar um salto qualitativo similar àquele que nós estamos a ensaiar, podemos potenciar uma procura de serviços que não terá concorrência nas proximidades”. Ricardo Costa alinha pela mesma ordem de ideias e defende a aposta nas infra-estruturas para responder às novas solicitações da sociedade, “Esta nova marca tem de ser projectada além do concelho de Guimarães e para isso temos de ter capacidade e infra-estruturas capazes de responder à dimensão que lhe queremos dar. Só é possível com a concretização dos nossos projectos. Será bom para a vila de Caldas das Taipas mas também para todo o concelho”.

Apesar das dificuldades elencadas, António Magalhães está convicto que a direcção da Taipas-Turitermas saberá acompanhar as novas tendências do mercado, “O mundo tem evoluído muito rapidamente e por vezes não acompanhamos esse ritmo. Quem se atrasar dificilmente consegue apanhar o pelotão da frente. Com as condições que temos e com esta visão estratégica, a aposta no projecto Taipas Termal será um êxito.”