PUB
Rotary Club das Taipas distingue Miguel Oliveira, fundador da Edigma e do Reflexo
Quinta-feira, Janeiro 28, 2016

Miguel Oliveira, fundador da empresa tecnológica Edigma, foi homenageado pelo Rotary Club de Caldas das Taipas como o profissional do ano 2015/16.

Teresa Portal, presidente em exercício do Rotary taipense, justificou este reconhecimento pelo facto de José Miguel Fernandes Oliveira ser “um jovem empresário que, na era do digital e da interatividade e no mercado do audiovisual, levou e leva longe o nome da sua terra e do seu país”. Numa breve intervenção nesta sessão festiva realizada a 26 de janeiro, Teresa Portal destacou ainda os prémios alcançados pelas empresas lideradas por Miguel Oliveira, salientando os prémios alcançados em 2010, com a loja Optimus no Porto e, em 2011, com a loja Meditel em Marrocos. Salientou ainda o facto de o Museu do Futebol Clube do Porto estar nomeado para o European Museum of the Year Award, cujo vencedor será apenas conhecido em abril de 2016.

Esta reunião festiva contou com a presença de cerca de quatro dezenas de rotários e representantes de diversas entidades, caso de Adelina Paula, em nome da Câmara Municipal, Constantino veiga, presidente da Junta de Freguesia de Caldelas e José Augusto Araújo, diretor da Escola Secundária da vila, bem como familiares mais próximos. Este último, na intervenção produzida, salientou o facto de Miguel Oliveira, enquanto aluno da Escola Secundária, ser um exemplo dos alunos que a escola de hoje, dominada pelos rankings, não sabe valorizar. Acrescentou ainda que o homenageado, não sendo um aluno de vintes, sempre mostrou um dinamismo que se refletiu, nos dias de hoje, no sucesso empresarial alcançado com a criação de empresas notáveis em qualquer lugar do mundo.

Adelina Paula e Constantino Veiga pautaram as suas intervenções pelas referências aos sonhos conquistados por Miguel Oliveira. A vereadora da educação acabaria por não resistir e, ainda que ironicamente, referiu que o único senão na vida empresarial de Miguel Oliveira foi o de ter localizado a Edigma em Braga.

Visivelmente emocionado, Miguel Oliveira relembrou alguns momentos da sua vida, socorrendo-se para isso de referências literárias, que estão sempre presentes na sua vida, caso de Ferreira de Castro quando este escrevia “sonhámos ir mais longe” ou de Tchekhov quando se referia que “um homem é aquilo em que acredita”.

A passagem por diversas associações e o concretizar projetos, fora do ambiente formal da escola, contribuiu, como afirmou, “para que aprendesse a conjugar esforços com os amigos, a aceitar a diversidade, ouvir a opinião dos outros e respeitá-la, argumentar nos casos em que era necessário e a trabalhar em equipa. E, o mais importante, fez-me acreditar que, junto com os amigos, podemos alcançar outros cumes e ultrapassar desafios maiores”.

Deixou uma mensagem para os mais jovens incentivando-os a “pensar usando a própria cabeça, a seguir os instintos sem ter medo de ousar e sonhar”. Tudo isso pode ser feito “das Taipas para o mundo” pois, como acrescentou, ele próprio, “nunca sai verdadeiramente das Taipas, apenas me limitei a sonhar e a perseguir os meus sonhos”.

De referir ainda que, apesar do adiantado do mês, a sessão terminou com o cantar dos Reis por parte de um grupo do Movimento Artístico das Taipas.