PUB
Rotaract Club das Taipas oficializado em dia de visita do Governador (FOTOS)
Quinta-feira, Outubro 29, 2015

A visita oficial do Governador do Distrito 1970, António Vaz, ao Rotary Club de Caldas das Taipas serviu para a apresentação oficial do Rotaract da vila recentemente criado.

O Rotaract Club taipense, agora apresentado, é constituído por dezoito jovens que abraçaram a causa rotária e passará a ser presidido por Bruna Costa. A jovem presidente tem 29 anos e é natural de Sande S. Lourenço, sendo licenciada em Educação Básica e com o mestrado em Ensino do 1º e 2º ciclo. Na sua intervenção destacou o papel de Teresa Portal, “um sonho tornado realidade pela perseverança e teimosia da presidente do Club, Teresa Portal”. Bruna Costa salientou que um dos objetivo do Rotaract é de promover oportunidades para os membros desenvolver as suas competências e habilidades profissionais e dar um contributo no sentido de dar respostas às necessidades sociais da comunidade local, tendo sempre presente o lema dos rotários de 2015: “Seja um Presente para o Mundo”.

A presidente do Rotary, Teresa Portal, não escondeu a emoção neste jantar festivo do dia 27 de outubro, “data memorável para o Club”, pois, como acrescentou, “O Club está em festa não só pela visita do Governador mas também pela admissão do novo elemento Miguel Oliveira e pela apresentação oficial do Rotaract”. Teresa Portal relembrou que este projeto começou a germinar em 2005, aquando da sua primeira presidência do Rotary e acabaria por ser criado, passados dez anos, a 30 de setembro de 2015. Não esqueceu que a entrada destes dezoito novos elementos excede o quadro do Rotary e que esta juventude irá permitir o desenvolvimento de novas iniciativas que serão conhecidas a seu tempo.

“Vamos fazer um mundo melhor”, apoiado no lema do Rotary Clube de Caldas das Taipas, “Dar de si antes de pensar em si”, dominou a intervenção de António Vaz, Governador do Rotary do Distrito 1970 que fechou esta sessão festiva. Não deixou de saudar os novos elementos que constituem o Rotaract taipense, afirmando que com a sua entrada não se verificará um “confronto de gerações” entre rotários, mas sim uma “complementaridade”, pois a constituição do Rotaract irá trazer uma certa “irreverência” própria da juventude que também faz falta ao movimento rotário. António Vaz finalizou a sua intervenção relembrando uma questão que lhe tinham colocado sobre as razões que o levam a ser rotário. Refletindo sobre a questão chegou a elencar 20 razões das quais deu a conhecer a primeira e a última: “pela amizade”, foi a primeira e como vigésima referiu a “oportunidade de servir”.