PUB
Ricardo Costa reage criminalmente contra Carlos Vasconcelos
Segunda-feira, Maio 11, 2009

O candidadato do PS à Junta de Freguesia de Caldelas, Ricardo Costa, vai reagir criminalmente contra Carlos Vasconcelos, vereador do PSD na Câmara Municipal de Guimarães.

Na base desta decisão estão as declarações publicas, proferidas por aquele vereador, no final da última reunião de câmara, realizada no passado dia 7 de Maio.

Recordamos que Carlos Vasconcelos questionou António Magalhães sobre se é prática comum reunir com candidatos a presidentes de junta, tendo o edil vimaranense negado alguma vez ter recebido Ricardo Costa a respeito da instalação de um Lar de Idosos nas Taipas.

Esta resposta do presidente do executivo vimaranense levou Carlos Vasconcelos a tecer duras críticas a Ricardo Costa acusando-o de ter mentido, pela segunda vez, à população taipense.

Por sua vez, o candidato de PS à Junta de Freguesia de Caldelas, já reagiu e, em nota de imprensa, dá conta de não retirar uma vírgula ao que disse e escreveu “no que diz respeito ao processo de obtenção da ajuda necessária para a concretização do Lar de Idosos, que será construído pelo Centro Social Padre Manuel Joaquim de Sousa”.

No mesmo documento, confirma reunião com a Câmara Municipal de Guimaães, “na pessoa do seu Vice-presidente, Dr. Domingos Bragança, com o intuito de promover a referida ajuda” e afirma poder vir a reunir “tantas vezes quantas forem necessárias em prol dos taipenses”.

“Repudio veementemente as declarações proferidas pelo Vereador da Câmara Municipal de Guimarães, Dr. Carlos Vasconcelos, que atentam contra minha honra e dignidade. Como escrevi, anteriormente, não admito e nunca admitirei que me apelidem de mentiroso, ainda mais quando essas ofensas provêm de alguém que confunde e acumula o seu papel de Vereador, com o de Advogado da Junta de Freguesia de Caldelas”, refere o candidato.

A terminar, Ricardo Costa dá conta da sua intenção em reagir criminalmente contra Carlos Vasconcelos, como forma de defender a sua honra e bom-nome.

Texto: Manuel António Silva

Artigos Relacionados