PUB
Requerida marcação duma Assembleia de Freguesia Extraordinária
Quinta-feira, Março 1, 2007

Os membros eleitos da Assembleia de Freguesia (AF) de Caldelas, Cândido Capela Dias, João Pedro Ribeiro e José Luís Oliveira requereram ao presidente da Mesa da AF a marcação de uma sessão extraordinária daquele órgão.
(1 comentário)

Os membros eleitos da Assembleia de Freguesia (AF) de Caldelas, Cândido Capela Dias, João Pedro Ribeiro e José Luís Oliveira requereram ao presidente da Mesa da AF a marcação de uma sessão extraordinária daquele órgão.

Para o efeito, apresentaram como argumentos, o facto da recém criada Unidade de Saúde Familiar (USF) de Ponte ter provocado a deslocalização de diversos médicos do Centro de Saúde das Taipas (CST) para aquela Unidade. Alegam que essa deslocalização não foi acompanhada pelo preenchimento das vagas deixadas por esses profissionais de saúde o que, no entender destes, terá agravado a prestação dos cuidados de saúde primários uma vez que, neste momento, há cerca de 7500 cidadãos sem médico de família.

Pelos motivos acima expostos, que entendem merecer especial atenção e discussão, os requerentes pretendem a marcação, com carácter de urgência, de uma AF Extraordinária, com vista a uma eventual tomada de posição, por parte deste órgão da Assembleia de Freguesia.

Junta de Freguesia emite comunicado
Entretanto, o Executivo da Junta de Freguesia de Caldelas, também já se pronunciou sobre este assunto. Em comunicado enviado à comunicação social, dão conta de uma recente visita à sede do CST a fim de averiguarem o actual funcionamento dos Serviços de Saúde na sua área de abrangência.

O comunicado faz referência à efectiva falta de médicos de Medicina Geral e Familiar com que se depara o CST e que se agravou, desde o início do ano, com a abertura da USF de Ponte. Refere ainda a necessidade dos utentes se deslocarem para as instalações do CST de madrugada, à espera de conseguir uma vaga para consulta o que, nem sempre se verifica. Alusão ainda ao facto de existir a possibilidade de marcações de consultas via telefone que, nesta altura, o fazem para datas superiores a dois meses.

Na sequência destas e outras constatações, o Executivo da Junta de Freguesia de Caldelas enumera uma série de pontos, dos quais a seguir destacamos alguns, que traçam a seguinte realidade:
– Cerca de 25 % dos utentes não aceitaram a transferência, não acompanhando os seus médicos para a USF Ponte, preferindo permanecer no CS Taipas sem médico, por tempo indeterminado;
– Cresceu 23 % o número de utentes sem médico, na sede do CST, entre Dezembro de 2006 e Fevereiro de 2007, correspondendo a 3400 e 4500 utentes, respectivamente;
– Presentemente, há 7500 utentes sem médico no CST, sendo 4500 na sede (já mencionado), 2000 da Extensão de Ronfe e cerca de 1000 da Extensão de Souto;

Acabam ainda por concluir que a abertura da USF Ponte não descongestionou o CST, na possibilidade de ter sido essa a sua finalidade.

Ainda no mesmo comunicado, é dado a conhecer que dois médicos que se encontravam a estagiar no CST e que prestaram provas esta semana, foram imediatamente colocados no Centro de Saúde de Moreira de Cónegos.

Ao mesmo tempo e quase a finalizar o referido comunicado, o executivo taipense compromete-se a assumir, entre outros, os seguintes compromissos:
– Obter informação da Sub-Região de Saúde de Braga quanto aos critérios que conduziram à colocação dos dois estagiários em Moreira de Cónegos, quando estes obtiveram formação neste CS Taipas e já estavam relacionados com inúmeros utentes do CST;
– Qual a razão do CST, não ter sido incluído nas cerca de 14 vagas “carenciadas”, perante a situação gravosa vivida nas Caldas das Taipas;
– Solicitar a abertura de vagas no CST para a área de Medicina Geral e Familiar, com a maior celeridade no processo relativo ao concurso público;

Assumem ainda que promoverão, por todos os meios ao seu alcance, o combate a mais uma medida do Governo (que consideram desastrosa), “que apenas visa objectivos economicistas, relegando seres humanos para o esquecimento, contradizendo estes objectivos com os grandes projectos anunciados para um país com carências de toda a ordem”.

Uma das medidas a tomar pelo executivo taipense, no intuito de esclarecer toda esta situação, já está em marcha. No próximo dia 6 de Março, pelas 9.30 horas, reúne com Castro Freitas, director da Sub-Região de Saúde de Braga, conforme consta do mesmo comunicado.

Texto: Manuel António Silva

Artigos Relacionados