PUB
Rentrées
Sábado, Outubro 11, 2003

É uma palavra chique, bonita e fica bem.

Das nacionais já muito se disse e, como é normal, cada um achou que a sua foi fixe e que a dos outros não prestou.

Para nós as “rentrées” que verdadeiramente interessam são as nossas. Por isso vamos lá.

A bola lá começou (bem mal para alguns, diga-se de passagem), mas nem tudo ainda está perdido, já que a solução pode passar por uma melhor distribuição dos jogadores pela equipa dos solteiros e pela equipa dos casados pois, até à data e, especialmente em alguns jogos, tem sido difícil identificar as equipas.

A Junta de Freguesia quase não teve “rentrée” já que, durante o mês de Agosto, o Sr. Arquitecto Constantino Veiga, responsável pelo Pelouro da Educação, e com verbas atribuídas pela Câmara Municipal de Guimarães, executou a total remodelação dos refeitórios escolares das Escolas EB1 Nº1 e Nº2, Pinheiral e Charneca, respectivamente. Apesar das verbas atribuídas para as Escolas do 1º Ciclo serem insuficientes, neste caso, o prometido pela Câmara Municipal de Guimarães e Junta de Freguesia de Caldelas foi cumprido.

A Assembleia de Freguesia terá a sua “rentrée” no dia 29 de Setembro, com a sua Terceira Sessão Ordinária, na qual, de certeza, se continuarão a tomar deliberações que nem sempre agradarão a “gregos e troianos”. É pena que a assistir e a participar sejam sempre poucos e os mesmos eleitores. Mas como lá diz o “pobão”: “Nem sempre a quantidade é qualidade e antes poucos mas bons.”

A oposição também terá de certeza a sua “rentrée” . O que eventualmente poderá ser um obstáculo à mesma é o facto de ainda não ter chovido o suficiente para regar a política do “bota abaixo”.

Os restantes Taipenses têm a vantagem de assistir a tudo isto calmamente sentados na bancada e, com muito “fair-play”, fazerem a “hola” sempre que os jogadores (ou políticos) continuarem a marcar golos na própria baliza.

Pê éSses finais:

Desde que “vi um porco a andar de bicicleta”, também aceito que, em relação ao mesmo assunto, um partido vote contra na Assembleia de Freguesia, posteriormente faça denúncias ao IGAT, se abstenha na Assembleia Municipal, exija a perda de mandato do nosso Presidente da Junta de Freguesia e, mesmo assim, diga com um ar sério que está solidário com ele. E esta Hein?!

Como é que o Governo pretende obrigar os portugueses a cumprir leis se ele próprio pretende contorná-las na nomeação “ilegal”de Maria Elisa?