PUB
Quatro militantes do PCP julgados em Guimarães
Sexta-feira, Janeiro 16, 2009

Quatro destacados sindicalistas e militantes do PCP vão ser julgados no próximo dia 20 de Janeiro, em Guimarães.

Está agendado para o próximo dia 20 de Janeiro, pelas 14.30 horas, o julgamento de quatro militantes do Partido Comunista Português, acusados de promover uma manifestação ilegal aquando do Conselho de Ministros realizado em Guimarães, no passado dia 7 de Outubro de 2006.

À data, os manifestantes concentraram-se em frente ao Centro Cultural Vila Flor ostentando uma faixa de pano onde se lia “Guimarães está mais pobre”.

A acção judicial em causa foi interposta pelo Governo Civil de Braga, organismo representante do Governo no nosso distrito, contra os referidos quatro sindicalistas.

No banco dos réus vão sentar-se Margarida Leça do sindicato dos professores, Adão Mendes coordenador da União de Sindicatos de Braga, José da Cunha União Sindicatos de Guimarães e Francisco Vieira do Sindicato Têxtil.

Numa nota emitida à comunicação social pela Comissão Concelhia de Guimarães do PCP, é considerado que “estes comportamentos e esta política do governo do Partido Socialista aprofunda entre outros, traços de autoritarismo e arrogância com graves limitações às liberdades de manifestação, de organização, de propaganda, com objectivos de intimidar e impedir a expressão do descontentamento popular e pretender silenciar a voz daqueles que como o Partido Comunista Português que rejeitando o conformismo e o fatalismo, exercem o seu legítimo direito de denunciar e lutar contra esta política que é de um violento ataque aos direitos dos trabalhadores e das suas condições de vida, aumentando cada vez mais as bolsas de pobreza no nosso concelho em contrapartida continuam as medidas políticas de colagem ao serviço do grande capital económico e financeiros, os grandes responsáveis pela situação difícil em que se encontra o País.”

No mesmo documento, a Comissão Concelhia de Guimarães do PCP, apela a que os militantes e amigos do Partido assistam ao referido julgamento.

Artigos Relacionados