Quartel da G.N.R. poderá ter intervenção de reabilitação dentro dois anos
Sexta-feira, Abril 10, 2015

Gabinete da Ministra da Administração Interna confirma necessidade de uma “empreitada de reabilitação parcial” no edifício onde funciona, desde 1989, o quartel da G.N.R. das Caldas das Taipas.

Em resposta à questão formulada pelo Grupo Parlamentar do Partido Socialista, em particular pelos deputados Miguel Laranjeiro e Sónia Fertuzinhos (eleitos pelo Círculo Eleitoral de Braga), o Ministério da Administração Interna confirma que o edifício que serve de posto da G.N.R., nas Caldas das Taipas, deverá beneficiar de uma intervenção nos próximos dois anos.

Num ofício datado de 6 de Abril, o gabinete da Ministra Anabela Rodrigues confirma que o edifício é propriedade do Estado português e que “carece de uma intervenção de reabilitação”.

O mesmo documento adianta ainda que a mesma intervenção está já registada no Fundo de Reabilitação e Conservação Patrimonial, da Direcção-Geral do Tesouro e Finanças (D.G.T.F.), organismo que está sob alçada do Ministério das Finanças, estando prevista a “reabilitação parcial deste edifício, no horizonte de dois anos”.

Este esclarecimento surge na sequência de uma pergunta formulada pelo Grupo Parlamentar do PS endereçada à Ministra da Administração Interna (M.A.I.) no passado dia 15 de Janeiro. Neste ofício, Anabela Rodrigues era questionada sobre a avaliação que o seu ministério fazia das condições dos quartéis de Lordelo e das Caldas das Taipas e ainda quais as intervenções que estariam previstas nestas instalações.

Dias depois da formulação da pergunta número 731/XII/4.ª, no dia 26 de Janeiro, o deputado socialista Miguel Laranjeiro esteve nas instalações do quartel das Caldas das Taipas, juntamente com representantes locais do partido, tendo nessa altura reconhecido haver “necessidade de intervenção” nas instalações do posto da GNR das Caldas das Taipas. O quartel está em funcionamento desde 1989 e desde então, não teve invenções significativas, “precisando de uma ou outra intervenção” – concluiu na altura da visita.

Quanto ao quartel de Lordelo a ministra fez saber aos deputados socialistas que o edifício onde está instalada a G.N.R. é de propriedade privada, confirmando o “deficiente estado de conservação”. Neste caso estará prevista a construção de um novo edifício, que se concretizará até 2017.