PUB
Por Amor às Taipas continua ronda pelas instituições taipenses
Terça-feira, Março 27, 2012

Clube Caçadores e Agrupamento de Escolas das Taipas receberam, num curto espaço de dias, a visita de representações do grupo “Por Amor às Taipas”.

Como temos vindo a dar conta, estas visitas estão a realizar-se no âmbito do projecto “Sentir as Taipas” que tem como principal intuito sentir o pulsar das respectivas instituições e associações visitadas.

A 17 de Março, o grupo taipense, liderado por Ricardo Costa foi recebido no Campo do Montinho pela Comissão Directiva do Clube Caçadores das Taipas. A concentrar todas as atenções desta visita estiveram as preocupações dos responsáveis directivos do Clube relativamente à demora que se tem verificado na construção do campo de relva sintético e que serve de apoio à grande maioria de escalões de formação do Clube. O Taipas está privado daquele espaço desde Setembro último.

Outras preocupações manifestadas e porventura não menos importantes que a atrás referida tem a ver, segundo Ricardo Costa, com a crescente falta de apoios das empresas da região, bem como com o distanciamento que se vai verificando nas pessoas para com o Clube. Ricardo Costa salienta a necessidade de motivar empresários e pessoas para a vida do Clube. Os primeiros no sentido de se conseguir agregar mais e maiores apoios. Os segundos para um maior acompanhamento do dia-a-dia da colectividade, nomeadamente tornando-se associados.

Ricardo Costa ficou ainda com a ideia de que há potencial institucional para que sejam aproveitados de melhor forma as ajudas e subsídios disponibilizados a nível concelhio, nomeadamente no que respeita aos apoios concedidos pela Câmara Municipal de Guimarães às colectividades desportivas aos quais o Taipas não se candidatou. Facto que, apesar de lhe ter sido justificado diz continuar a não “compreender muito bem”.

Esta visita, para além dos representantes do grupo “Por Amor às Taipas”, contou com a presença de Domingos Bragança, presidente da estrutura concelhia do Partido Socialista de Guimarães.

Quatro dias depois foi a vez da Escola E.B. 2,3, sede do Agrupamento de Escolas das Taipas, receber a visita dos responsáveis pelo projecto “Sentir as Taipas”.

Na visita, a Direcção deste Agrupamento escolar destacou, segundo nota distribuída à imprensa pelo grupo “Por Amor às Taipas”, o último contacto realizado com a Câmara Municipal de Guimarães, onde foram informados que o projeto para a requalificação da escola E.B 2/3 se encontra em execução, aguardando-se apenas pela submissão da candidatura que financiará a sua construção. No que respeita às obras da EB1 do Pinheiral, a Direcção deu conta de que as indicações que possuem é de que tudo estará a ser feito para que as aulas, no próximo ano lectivo, já avancem nas renovadas instalações.

A crescente diminuição do número de alunos, especialmente nas escolas das freguesias contiguas às Taipas, e a ausência de um aumento significativo de procura de apoios sociais escolares (apesar do contexto económico actual) foram outros dos aspectos abordados pela Direcção do Agrupamento nesta visita.

Este périplo não viria a terminar sem que antes fossem apresentadas, pelo Director do Agrupamento, criticas à intenção de criação, por parte do Ministério da Educação, de Mega Agrupamentos. Situação que, na sua opinião, apenas colherá algum tipo de explicação numa visão meramente economicista dado que numa perpectiva de educação “não faz nenhum sentido, pois a sua concretização implicaria que, um reagrupamento de várias Escolas da região, aumentando o número de alunos, para um total de cerca de 6 000, passando a ter apenas um coordenador”.