PUB
Pensão Vilas e ringue do Parque de lazer não desatam e deslustram a vila
Quinta-feira, Outubro 15, 2015

A esquerda lamenta o “negócio” da Pensão Vilas e o atual estado esquelético do imóvel. A direita lamenta a inoperacionalidade do ringue do Parque e seu atual estado assombrado.

No passado dia 12, a Assembleia de Freguesia reuniu-se na sua terceira sessão ordinária do ano, com cinco pontos na ordem de trabalhos. No primeiro de três pontos, do período antes da ordem do dia, foi aprovada por maioria a ata da última sessão realizada em julho. Abstiveram-se os elementos que não participaram na mesma.

Seguidamente, nas intervenções do público, o senhor Joaquim Silva chamou atenção para as “crateras” deixadas pela Vimágua em alguns arranjos que vai fazendo nas ruas da vila, que causam danos nos automóveis, situação que tenderá a piorar com a chegada do Inverno.

O presidente da Junta de Freguesia (JF), Constantino Veiga, confirmou a versão do freguês e informou que tem diligenciado junto da Câmara Municipal de Guimarães (CMG) um pedido de intervenção para resolver a “buracada” que prolifera nas imediações do centro da vila. O autarca admite que “o concelho é muito grande e há muitos buracos a tapar” e que a CMG não tem capacidade para dar resposta em tempo considerado útil.

VILA SUJA
No período para tratamento de assuntos gerais de interesse para a freguesia, sem caráter deliberativo, a CDU lamentou os dez anos de desgoverno da direita na JF, enumerando algumas situações do quotidiano da vila como a falta de recipientes de lixo na Avenida da República e na Praça Dr. João Antunes Guimarães, e de limpeza nas ruas. Para este partido, a vila é suja e nos locais de lazer não há limpeza. Lamentou ainda a falta de algumas valências da CMG no Espaço do Cidadão recentemente inaugurado na sede da JF.

Constantino Veiga, em reposta, fez saber que pediu a instalação de Moloks (contentores de resíduos sólidos urbanos semi-enterrados) no centro da vila com a mesma configuração dos instalados no centro da cidade de Guimarães, contudo, segundo o autarca taipense, o vereador do Município responsável pelo pelouro terá referido que esses Moloks têm um custo elevado. Fez também saber que pediu a instalação de Moloks no loteamento em frente à Cutipol e no loteamento da Seara.

A CDU também questionou o executivo, se este desenvolveu contactos junto da Associação para o Desenvolvimento Integrado das Taipas (ADIT), afim de saber quando seriam retomadas as obras na Pensão Vilas, onde deverá nascer uma residencial sénior.

RESIDENCIAL SÉNIOR NA PENSÃO VILAS
E REQUALIFICAÇÃO DO RINGUE NO PARQUE

Sobre este tema a JF diz não ter informações para prestar. A bancada da Coligação Juntos por Guimarães (JpG) saiu em defesa do projecto afirmando que o mesmo será concluído. Realçou ainda que a vila teve um benefício imediato, porque ficará com património e lamentou que a CDU não esteja também preocupada com locais abandonados há anos, dando o exemplo do ringue do parque de lazer da vila.

O Partido Socialista (PS) por sua vez juntou-se à preocupação da CDU, acusou a coligação JpG de estar a esconder o seu insucesso com a aquisição de património, quando a promessa eleitoral foi a construção de uma residencial sénior. O PS disse ainda que a cooperativa Taipas Turitermas, ao contrário da JF, tem um plano de desenvolvimento do património que lhe está cometido, bem pensado e estruturado, o qual está a fazer o seu caminho, dando o exemplo da recuperação dos Banhos Velhos e do edifício das Termas com novas valências, estando aquele partido certo de que chegará em breve a vez do ringue.

Ainda neste último ponto, antes da ordem do dia, foram aprovados dois votos de pesar. Um pelo falecimento do Pai do presidente da mesa da Assembleia de Freguesia, Mário Ribeiro e do tesoureiro da JF, José Manuel Ribeiro, e outro, pelo falecimento do Sogro do membro socialista Luis Soares.

Já no período da ordem do dia, com dois pontos para discussão, foi apreciada a informação escrita da JF relativa à atividade e situação financeira entre sessões, e aprovado por maioria, com os votos favoráveis da coligação JpG e da CDU e a abstenção do PS, a segunda revisão orçamental do ano 2015.

Texto José Henrique Cunha