PUB
Partidos da esquerda defendem demissão do director da Segurança Social de Braga
Quarta-feira, Março 23, 2016

O director do Centro Distrital da Segurança Social de Braga é acusado por funcionários de ser autoritário e de instalar o mau-estar naquele serviço público. Vieira da Silva abriu um inquérito para averiguar.

O director do Centro Distrital da Segurança Social de Braga, Rui Barreira, verá a sua conduta averiguada por um processo instaurado pelo Ministro que tutela o Instituto da Segurança Social. A informação surgiu após uma pergunta feita pela deputada Carla Cruz, do PCP, com base numa exposição feita por um grupo de funcionários daqueles serviços, em Braga.

Trabalhadores da segurança social de Braga acusam Rui Barreira de tomar medidas que classificam de autoritárias. A deputada Carla Cruz, eleita por Braga pelo PCP, fez ainda referência a uma eventual dualidade de papeis desempenhados por Rui Barreira, que confundiam a sua qualidade de director da Segurança Social com o de dirigente partidário. O director da Segurança Social de Braga é também deputado municipal e foi líder da concelhia de Guimarães do CDS.

As declarações que Rui Barreira deu, aquando de uma entrevista à Revista Sim, em Março 2013, estão agora a ecoar. Nessa entrevista, Barreira afirmava que uma das caracteristicas do cargo de director distrital da Segurança Social era ser da mesma cor política do Governo que faz a nomeação – “esta função tem que ser exercida por alguém com a mesma orientação política”, disse nessa altura àquela publicação.

O actual Ministro Vieira da Silva disse, no Parlamento, que estava à espera da carta de demissão de Rui Barreira. Partidos de esquerda querem que seja o ministro da demitir o director distrital da Segurança Social de Braga. Para o Bloco de Esquerda, o Ministro tem todos os motivos para o fazer, após uma exposição entregue por um grupo de trabalhadores da Segurança Social de Braga.

Rui Barreira foi nomeado Director do Centro Distrital de Segurança Social de Braga no final de 2011, na altura em que o governo de Pedro Passos Coelho liderava o Governo de Portugal. Entre 2002 e 2005, já tinha sido Director-Adjunto do mesmo centro, antes de ter prestado consultoria ao grupo parlamentar do CDS, na área da segurança social, na Assembleia da República.