PUB
PS e CDU “chumbam” contas e atribuição da Medalha de Honra às escolas
Quinta-feira, Maio 7, 2015

O Executivo da Junta de Freguesia (JF) não conseguiu que fossem aprovados o documento referente às contas do ano 2014 e uma proposta de atribuição da Medalha de Honra ao Agrupamento de Escolas de Caldas das Taipas.

A sessão ordinária da Assembleia de Freguesia teve lugar na passada terça-feira, 5 de Maio, no Salão Nobre dos Bombeiros de Caldas das Taipas. A sessão tinha num dos pontos da ordem de trabalhos a apresentação e discussão das contas do executivo autárquico de Caldelas.

A CDU entendeu que as contas 2014 não reúnem os critérios e princípios considerados essenciais – diminuir nos gastos para ser possível fazer investimento. A CDU lembrou que a coligação não atendeu nenhuma das recomendações contidas no acordo pós-eleitoral, que viabilizou o actual executivo, tendo optado por uma política de despesismos e populismo.

Numa declaração de voto o PS explicou as razões da sua posição desfavorável, dando nota que ao longo dos últimos anos aquela bancada, de uma forma construtiva, tem dado contributos para que a apresentação dos documentos possa ser melhorada e fielmente espelhar a atividade da JF, em vez das incoerências e imprecisões, que suscitam dúvidas de cariz legal.

A proposta de atribuição da Medalha de Honra ao Agrupamento de Escolas de Caldas das Taipas, apresentada pelo executivo liderado por Constantino Veiga não conseguiu deliberação positiva por parte da assembleia. Ambos os partidos reconheceram grande mérito às escolas. No entanto, fizeram valer a proposta que apresentaram à Comissão Organizadora do 75.º aniversário da vila das Caldas das Taipas, que defende uma homenagem às instituições e coletividades da vila.

Apesar do PS e CDU reconhecerem a legitimidade do executivo para propor individualidades ou coletividades da vila, ambos partidos repudiaram a forma “prepotente” como a JF inseriu esta proposta na ordem de trabalhos desta sessão ordinária.

Leia a edição integral do relato da Assembleia de Freguesia do jornal Reflexo de Maio, já nas bancas.

Texto José Henrique Cunha