PUB
PSD quer saber mais sobre a CEC 2012
Quinta-feira, Setembro 25, 2008

Oposição diz que é altura de se conhecer o “ponto de situação” da organização da Capital Europeia da Cultura em 2012, lembrando a câmara que havia prometido divulgar os detalhes após o Verão.

Os vereadores eleitos pelo PSD na Câmara Municipal de Guimarães entendem que é altura para acabar com o secretismo em que está envolto o processo de organização da Capital Europeia da Cultura em 2012, a cargo como é sabido, de Guimarães. José Manuel Antunes confrontou o presidente da câmara, António Magalhaes, hoje durante a reunião do executivo. O vereador diz que a câmara deve cumprir com aquilo que havia prometido e defende que seria a altura indicada para se conhecerem os contornos do projecto e ainda promover uma comunicação pública a esse respeito.

O edil vimaranense entende que a organização da Capital Europeia da Cultura é “um assunto sério demais”, negando a possibilidade de se comunicarem detalhes do processo. António Magalhães apenas adiantou que as conversações estão neste momento a ser feitas ao nível central, junto do Ministério da Cultura e do próprio primeiro-ministro. Em aberto estão ainda questões de financiamento que permitam realizar os projectos propostos, a respeito dos quais são já conhecidas algumas intenções. Para além do ministério, junta-se também a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), já que se espera que parte daquele financiamento venha do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN).

Outra das questões levantadas da reunião, quer pelo PSD, quer pela CDU e ainda por parte do público, dizia respeito a uma intervenção que está a ser feita no Parque da Cidade, no chamado loteamento da Quinta do Outeiro, cuja área estava a ser utilizada como parque. Segundo António Magalhães, houve algum descuido na forma como esta questão começou por ser tratada. Aquela margem foi, enquanto não se iniciou a obra, tomada como parque mas aquela intervenção que está a ser agora feita, já estava prevista há mais de vinte anos, altura em foram feitas as negociações com os cinco proprietários dos terrenos onde está o Parque da Cidade.

Texto: Paulo Dumas

Artigos Relacionados