PUB
PSD de Guimarães acusa Jorge Sampaio de incoerência
Terça-feira, Maio 10, 2011

Jorge Sampaio defendeu publicamente, há dias no Porto, a redução do número de freguesias e concelhos no País. O PSD de Guimarães acusa o ex-Presidente da República de incoerência.

No âmbito da Conferencia “Reorganização Administrativa do País”, realizada no Porto no passado dia 5 de Maio e promovida pela TSF, Jornal de Notícias e Ordem dos Técnicos Oficiais de Contas, Jorge Sampaio, numa mensagem gravada, defendeu a redução do número de freguesias e de concelhos. Para Jorge Sampaio, “há concelhos e freguesias a mais; há dimensão, escala e recursos a menos”, sendo que “as pesadas circunstâncias económicas e financeiras do País não devem impedir que se ataque decididamente este desafio”.

O PSD de Guimarães, na sequência destas declarações, veio a publico, por meio de um comunicado, dar conta de que não pode “deixar de registar publicamente a incoerência manifestada pelo antigo Presidente da República nesta matéria, na medida em que defende uma posição em 2011 que é absolutamente contraditória com a sua actuação política em 1998.

O documento distribuído à imprensa tem sete pontos e, no essencial, relembra que foi Jorge Sampaio quem, em 1998, “promulgou a lei que instituiu o concelho de Vizela de uma forma absolutamente casuística, sem qualquer enquadramento no âmbito de uma Reforma Administrativa que já então era necessária”.

Os sociais democratas defendem ainda que “Já em 1998 havia concelhos a mais e já em 1998 havia dimensão, escala e recursos a menos, mas ainda assim o então Presidente da República, podendo, não se coibiu de contrariar na prática aquilo que hoje vem, enfaticamente, defender, assim aumentando ainda mais o número de concelhos existentes em Portugal”.

“Infelizmente o antigo Presidente da República portuguesa sempre teve uma prática política muito diferente daquela que foi a sua actuação prática, sendo esta mais uma demonstração inequívoca de uma total e manifesta incoerência no exercício da actividade pública que apenas desacredita os titulares de cargos políticos”, pode também ler-se no comunicado.

A terminar, o PSD de Guimarães salienta o facto de em 2011, “ao contrário de Jorge Sampaio” manter a mesma posição assumida em 1998, relativamente a este assunto.