PUB
PCP de Guimarães exige demissão do Governador Civil
Terça-feira, Fevereiro 10, 2009

Na reunião da concelhia vimaranense do passado fim-de-semana, Jerónimo de Sousa, secretário-geral do partido insurgiu-se contra os despedimentos abusivos e os “horários escravizantes”.

Decorreu no domingo, 8 de Fevereiro, em Selho (S. Jorge), uma reunião da concelhia de Guimarães do Partido Comunista Português, reunião que contou com a presença do secretário-geral do partido – Jerónimo de Sousa.

Durante o dia os comunistas analisaram a actividade desenvolvida pelo partido e definiram as suas actividades futuras, tendo sido eleita a comissão concelhiado partido.
A organização do partido nas Caldas das Taipas foi entregue a Rogério Pinto e Cândido Capela Dias ficará responsável pelas pastas do Poder Local, comunicação social. Salgado Almeida e Adão Mendes também fazem parte da equipa que foi eleita por maioria.

Na sua intervenção Jerónimo de Sousa acusou o governo de estar a criar condições para que trabalhadores estejam a ser despedidos de forma abusiva e os que não são despedidos, são mantidos com “horários escravizantes”.

Ainda durante a sessão de trabalho do PCP procedeu-se à aprovação de uma moção de solidariedade com os sindicalistas que estão a ser julgados em Guimarães. Este é um processo decorrente de uma manifestação aquando de uma visita ministerial a Guimarães, em 2006.

Nessa moção e a este propósito é exigida a demissão de Fernando Moniz – Governador Civil do Distrito de Braga, promotor do processo de julgamento dos quatro sindicalistas.

Artigos Relacionados