PUB
PCP Taipas diz-se insultado pelo presidente da Assembleia de Freguesia de Caldelas
Segunda-feira, Julho 11, 2016

Ainda a propósito das intervenções levadas ao púlpito na Sessão Solene de 19 de Junho, PCP Taipas considera que o presidente da Assembleia deturpou a realidade e se colou à Junta de Freguesia, acusando-o de parcialidade.

Os representantes do PCP das Taipas consideram que o presidente da Assembleia de Freguesia de Caldelas fugiu à posição de imparcialidade, acusando-o de falta de rigor e de bom senso político. Os comunistas referem-se aos discurso proferido por Mário Ribeiro, por altura da Sessão Solene daquela assembleia, que decorreu no passado dia 19 de Junho e na qual a artista Elisabete Matos foi homenageada.

Por sua vez, a intervenção do presidente da mesa da assembleia remetia para o decorrido na sessão extraordinária, de 18 de Junho, onde foi debatido o designado processo Pensão Vilas. A marcação da sessão foi solicitada pelos partidos da oposição PS e PCP, tendo como propósito o debate sobre a estratégia defendida pela actual Junta de Freguesia para o projecto de uma residencial sénior na antiga pensão.

Mário Ribeiro aproveitou a ocasião para transmitir publicamente o seu desagrado pela forma como decorreram os trabalhos – “todos nós temos alturas em que nos apetece atirar a toalha ao chão”, disse o presidente da Assembleia na sessão solene, referindo-se à forma como decorreram os trabalhos no dia anterior.

Os comunistas consideram parcial a posição tomada pelo presidente da assembleia e uma forma de deturpação da realidade, considerando não ser inocente essa posição. Para os representantes do PCP nas Taipas não há motivo para Mário Ribeiro insistir em alinhar-se com a Junta de Freguesia neste processo, ao apontar que os promotores da assembleia extraordinária “desenterraram os machados da discórdia”.

Os dirigentes comunistas da vila afirmaram entretanto, em nota de imprensa, que estarão sempre disponíveis e abertos a soluções que levem ao engrandecimento das Taipas e à melhoria das condições de vida dos taipenses”. Recorde-se que da reunião extraordinária da Assembleia de Freguesia do dia 18 de Junho, ficou apenas no ar a hipótese avançada pela Junta de Freguesia de a ADIT (Associação para o Desenvolvimento Integrado das Taipas) adquirir o imóvel, tendo ficado marcada pela troca de acusações e de argumentos políticos.