PUB
O que fazer quando o fumo de um incêndio nos atinge?
Terça-feira, Agosto 7, 2012

É importante reconhecer sintomas, identificar os grupos mais suscetíveis e evitar as consequências da exposição ao fumo dos incêndios.

O fumo dos incêndios é constituído por pequenas partículas em suspensão, vapor de água e gases (monóxido de carbono, dióxido de carbono, dióxido de enxofre, óxido nítrico e compostos orgânicos voláteis, entre outros).

Os gases presentes no fumo dos incêndios entram na corrente sanguínea através dos pulmões e reduzem a quantidade de oxigénio no sangue que é distribuído aos órgãos e tecidos do corpo. Assim, o organismo deixa de dispor da quantidade de oxigénio de que necessitam para funcionar normalmente. Para além disso, as vias respiratórias inflamam e tornam-se mais estreitas, dificultando a passagem do ar.

Este funcionamento inadequado dos órgãos pode traduzir-se por alguns sintomas que devem ser reconhecidos para evitar consequências mais graves. Estes sintomas são: a tosse, falta de ar, pieira, irritação do nariz e da garganta, cansaço, ardor e comichão nos olhos, alteração da visão, dores de cabeça e tonturas, mesmo em pessoas saudáveis.

Os sintomas podem ser mais graves e mais exacerbados nalgumas pessoas com maior risco, principalmente em grávidas, crianças (principalmente com menos de 3 anos, porque respiram 2 vezes mais ar que os adultos por terem pulmões mais pequenos), idosos, pessoas com doenças de coração ou dos pulmões, bombeiros e indivíduos que trabalhem ao ar livre.

Para prevenir estes sintomas, caso ocorra um incêndio perto da sua casa:
• Aumente a ingestão de água;
• Evite o consumo de tabaco;
• Reduzir a atividade física. Se tem crianças, não as deixe praticar desporto ou brincar no exterior;
• Perante um ambiente com fumo respire devagar, descontraia-se e não entre em pânico;
• Evite a inalação de partículas, protegendo a boca e nariz com máscaras adequadas ou lenços húmidos; As máscaras usadas para proteger do pó não são eficazes nestas situações;
• No caso de existir irritação dos olhos, lave bem com soro fisiológico ou água fria e limpa. Para prevenir problemas dos olhos, deve ser usada proteção ocular (óculos);
• Se atravessar de carro uma zona com fumo, feche as janelas e os ventiladores. Se o carro tiver ar condicionado, ligue-o em recirculação;
• Os doentes cardíacos e respiratórios devem ter consigo a medicação de S.O.S e usá-la caso necessário;
• Se tiver ou mantiver os sintomas deve recorrer ao médico ou ao serviço de urgência mais próximo.
• Em casa:
– Tente permanecer o maior tempo possível dentro de casa, mantendo as portas, janelas e tampas das lareiras fechadas. Se necessário, tapar frinchas existentes com panos molhados;
-Se tiver ar condicionado, deve colocar a opção de recirculação de ar e verificar se os filtros estão limpos, evitando que o ar exterior entre dentro de casa;
-Para manter os níveis de oxigénio elevados dentro de casa: não fume, não acenda velas, nem aparelhos que funcionem a gás ou a lenha;
-Se a temperatura está muito elevada dentro de casa e não tem ar condicionado, é mais prudente que procure outro abrigo;
Se viver numa zona rural, com risco de incêndio nas proximidades, deve tomar algumas precauções nas épocas mais quentes do ano:
• Instale um detetor de incêndio e verifique regularmente as pilhas;
• Coloque toda a medicação da família num único local de modo a poder recolhê-la e sair rapidamente;
• Tenha sempre água em garrafões (pelo menos 0,5 L por pessoa);
• Pense num local alternativo onde possa ficar, caso necessite de sair de casa; Planeie uma estrada alternativa de acesso ao hospital ou à aldeia mais próxima, caso o caminho habitual seja obstruído pelo incêndio.

26