PUB
O outro lado do monte de Santa Catarina existe. Pelos caminhos de Calvos e Serzedelo
Sexta-feira, Setembro 25, 2015

A encosta menos conhecida do Monte de Santa Catarina, pelas freguesias de Calvos e Serzedelo, numa iniciativa da AVE.

Diz-se que estão de costas voltadas para cidade por ficarem do outro lado do monte que abraça Guimarães. Situação insólita como esta talvez só mesmo as freguesias de Gondomar e Castelães, na nesga do nordeste do território do concelho, mais perto da Póvoa de Lanhoso.

Uma das imagens mais típicas de Guimarães é a do Largo da República do Brasil, quem vem da Praça da Oliveira, e se depara com a Igreja dos Santos Passos e o alto imponente que se eleva por trás, encimado pelo templo desenhado pelo arquitecto Marques da Silva.

Por ser tão forte esta imagem, poucas vezes nos lembraremos de questionar sobre o que está do outro lado da Serra de Santa Catarina, vulgarmente chamada de Monte da Penha. A vertente nascente do monte é virada para Felgueiras e Fafe, concelhos com que Guimarães faz fronteira.

Com o propósito de descobrir ou conhecer melhor a outra vertente da Serra de Santa Catarina a Associação Vimaranense para a Ecologia (AVE) promove a iniciativa “Caminhar em Guimarães – Pelas Quintas de Calvos e Serzedelo”, que se realiza no dia 27 de Setembro, Domingo.

A partida está marcada para as 9.30 horas junto ao Santuário da Lapinha, na freguesia de Calvos. O trajecto prevê a passagem por quintas e bosques, descendo a encosta até ao Rio Vizela e depois regresso por Serzedelo ao ponto de partida. O percurso tem uma distância de 12 quilómetros, com uma dificuldade moderada, devido ao declive de alguns troços.

A participação é gratuita. No entanto, a organização previne que a caminhada não inclui seguros nem refeições, devendo cada participante levar comida e bebida para o percurso e para uma paragem, que se fará no Parque de Campismo de Vila Fria. Aconselha ainda a vestir roupa adequada a caminhadas longas e em pisos irregulares.