PUB
O leitor que tire as suas conclusões
Quinta-feira, Outubro 6, 2016

Nas duas últimas sessões da Assembleia municipal falou-se muito das Caldas das Taipas. Na penúltima, pela voz do deputado Luís Soares, o Partido Socialista levou à discussão a famigerada questão da Pensão Vilas, denunciando aquilo que considera ser um negócio ruinoso cujos contornos denunciou e detalhou. A denúncia serviu igualmente para questionar o silêncio do PSD concelhio, sempre apostado em falar em má despesa pública a propósito de tudo e de nada no município, mas estranhamente (ou não) calado nesta matéria.

Já na passada segunda-feira, votou-se o aumento de capital da Cooperativa Taipas Turitermas, protagonizado pelo seu acionista maioritário (Câmara Municipal de Guimarães) decisão a reboque da qual se discutiu de tudo um pouco sobe as Taipas. Os temas em questão davam pano para mangas e não cabem no espaço desta crónica, mas houve duas questões me impressionaram e que queria aqui partilhar com os leitores.

A primeira foi algo que foi dito abertamente pela bancada do PSD a propósito da questão da Pensão Vilas e repetido na segunda-feira feira em aparte (menos audível, mas real) da mesma bancada: “isso são questões das Caldas das Taipas”, ou seja, traduzindo, não teriam sentido ou dignidade para serem tratadas na Assembleia Municipal, mas apenas em Assembleia de Freguesia. Ora repito aqui o que disse na Assembleia: obviamente que as questões das Caldas das Taipas devem ser discutidas na Assembleia Municipal de Guimarães. Das Taipas, como de qualquer outra freguesia do concelho. Estranha postura esta por parte de quem vive a atirar pedras a outros a quem acusam de alegadamente só olhar para a cidade.

A segunda tem a ver com um entendimento da parte do PSD que considero pobre acerca do objeto da Taipas Turitermas. Deu para perceber que o conceito de termalismo daqueles que intervieram em nome desse partido é um conceito próprio do século XIX. Para eles o termalismo devia ser apenas e só o que era naquela altura e ponto final. Foi constrangedor perceber a falta de visão de quem não percebe que se não modernizarmos e atualizarmos o conceito do termalismo, se não lhe acrescentarmos novas valências, o estamos a condenar a definhar e a desaparecer. E isso sim, seria uma perda irreparável para as Taipas e para o concelho de Guimarães.

Da discussão fiquei, ainda, com uma sensação perturbadora: a de que o facto de o Município investir nas Taipas, de a Cooperativa ter uma atividade bem visível nas Taipas incomoda muita gente à nossa direita.

Para a história ficará todavia, a votação: PS e CDU a favor do aumento de capital. Abstenção do BE. PSD e CDS contra. O leitor que tire as suas conclusões.

Deputado municipal eleito pelo PS