PUB
O encerramento da cadeia de Guimarães e o novo director regional de agricultura e pescas do Norte (2 comentário)
Sexta-feira, Outubro 20, 2006

Governo pretende encerrar 22 cadeias até 2010 Nos próximos quatro anos, vão desaparecer 22 das actuais 56 cadeias existentes em todo o país e serão edificadas de raiz mais cinco. (…) A falta de condições determina o fecho dos presídios de Viana do Castelo, Braga e Guimarães. Público on-line Agricultura: Carlos Guerra será director do […]

Governo pretende encerrar 22 cadeias até 2010

Nos próximos quatro anos, vão desaparecer 22 das actuais 56 cadeias existentes em todo o país e serão edificadas de raiz mais cinco. (…) A falta de condições determina o fecho dos presídios de Viana do Castelo, Braga e Guimarães.

Público on-line

Agricultura: Carlos Guerra será director do Norte

A Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Norte vai ficar com sede em Mirandela. Carlos Guerra, actual director da Direcção Regional de Agricultura de Trás-os-Montes e Alto Douro, será o director regional deste novo organismo, que abrange toda a região Norte, entrando em funções em Janeiro de 2007.

Mensageiro de Bragança

________________________________
COMENTÁRIOS A ESTA NOTÍCIA
Não percebo! Uma cadeia que vai desaparecer, aparece no PIDDAC com um orçamento para remodelação de 30 mil euros, isto em ano de grandes cortes orçamentais para o município. Irão remodelar para algum tipo de “festa de encerramento”, com canção do adeus e lenços brancos?
J. Silva  2006-10-20  16:11h.

Fechem as cadeias, fechem as morgues, que o défice será combatido mesmo que no fim não fique pedra sobre pedra dos serviços públicos. Obviamente, antes de decidir o encerramento, munam-se de estudos encomendados a sábios que da poda sabem tanto como eu de lagares de azeite, como aconteceu com o estudo sobre a reorganização da GNR entregue a um gabinete de contabilistas que não distinguem as funções de fiscalização das funções de manutenção da ordem pública. E paguem-lhes bem, porque os pareceres encomendados avalizam a destruição do que resta das funções sociais do Estado de que fala a Constituição da República. Os lusitanos andam loucos!
Cândido Capela Dias  2006-10-20  17:25h.

Artigos Relacionados