PUB
Novo Posto de abastecimento de Combustível
Quinta-feira, Setembro 29, 2005

Está a ser construído, nas Taipas, um novo Posto de Abastecimento de Combustíveis.

Situado na Rua 25 de Abril, junto à rotunda na saída da vila para Braga, este é um assunto que já foi discutido em reunião de junta em Março de 2002. Na altura, aquando o pedido de parecer da Câmara Municipal de Guimarães à Junta de Freguesia, as opiniões dividiram-se. Cada um dos elementos da Junta apresentou o seu ponto de vista tendo, nessa reunião, ficado suspensa a emissão do parecer. Certo é que o a sua construção já está licenciada e as obras decorrem a bom ritmo. Sobre o assunto, o presidente da junta, Remísio Castro, refere que o parecer emitido pela junta de freguesia, discordava com a referida construção tendo salvaguardado que, não competia a junta a avaliação técnica do projecto e o seu enquadramento na Lei.
Lembramos que em Dezembro do mesmo ano, a Associação de Pais e Amigos da Escola E. B. 1 das Taipas, também se insurgiu contra a instalação de um Posto de Abastecimento de Combustíveis no Intermaché das Taipas. É pois, bem provável, que estes protestos não tenham servido de nada e que, mais dia, menos dia, seja dado início a mais uma construção do género.

No Reflexo nº 70 de Abril de 2002, sobre este assunto e relatando uma Reunião de Junta, escreveu-se o seguinte:

UMA NOVA BOMBA DE GASOLINA PARA AS TAIPAS
Um dos poucos assuntos que mereceu alguma discórdia entre os elementos da Junta foi a entrada de um pedido de licenciamento na Câmara Municipal de Guimarães (C.M.G.) para um posto de abastecimento de combustíveis na segunda fase da variante. Armando Abreu levantou algumas reservas sobre o licenciamento de uma nova bomba de gasolina na Vila devido a poluição ambiental e sonora. Argumentou que não se percebe que pelo país fora se estejam a fechar gasolineiras inseridas nos meios urbanos e nas Taipas se queira abrir uma nova numa zona central da vila e rodeada de habitações. Avisou mesmo o presidente do executivo que esta deve deixar de passar “cheques em branco” à C.M.G.. Relembrou também que os condóminos do loteamento da Quinta do Monte já se tinham insurgido com essa probabilidade. Posição totalmente oposta manifestou Constantino Veiga eleito pela CDU, que não vê qualquer problema na implantação de uma bomba naquele local e entende mesmo que este tipo de estabelecimentos deveriam estar concentrados. Criticou a implantação dos últimos apartamentos naquela zona deixando mesmo no ar a ideia que quando estes foram licenciados pela C.M.G., esta já teria conhecimento que naquela zona iria nascer um posto de abastecimento de combustíveis. Remísio Castro lembrou os membros da Junta que esta não tinha que dar um parecer técnico, mas sim alertar a C.M.G. caso o licenciamento naquela zona colidisse com interesses urbanísticos da vila ou projectos da Junta. Alertou também para uma possível obstrução no trânsito daquela área. O parecer da Junta ficou suspenso, a pedido de Armando Abreu, pois pretende estudar mais minuciosamente o assunto.

Artigos Relacionados