PUB
Na ressaca das Festas
Quinta-feira, Janeiro 8, 2004

Depois de mais uma passagem para um novo ano, entramos em 2004 com a esperança de que o actual irá ser melhor que o anterior.

Com alguns sinais positivos no horizonte, multiplicaram-se os votos de melhorias nos diversos sectores da sociedade portuguesa, o desejo de saúde e paz e para que a economia recupere rapidamente, foram sem dúvida, a tónica em todos os discursos que se ouviram nesta quadra.

Embora as notícias do exterior fossem de tragédia, o sismo no Irão foi sem dúvida uma nova que nos chocou e nos mostrou a imagem de pobreza e desespero que abalou toda a comunidade internacional. Um facto que aparentemente serviu para aproximar os Estados Unidos e o Irão, dois países que andam desavindos há muitos anos, ficamos à espera que esta tragédia sirva, pelo menos, para que os senhores do poder destes países, dêem passos rumo à paz, que naquela parte do mundo tem andado arredada à muito tempo.

Um facto positivo e que eu gostaria de ressalvar, foi sem dúvida, as operações de Natal e Ano Novo levadas a cabo pela G.N.R. A campanha levada a cabo quer nas rádios, quer nas televisões, ou mesmo na generalidade da comunicação social mostrou imagens e depoimentos arrepiantes, e eu não tenho dúvidas de que esta serviu para atenuar o número de acidentes e principalmente o número de mortos nesta quadra, que se quer que seja de alegria e não de tragédia e sofrimento, por isso os meus sinceros parabéns a quem teve a iniciativa e conduziu esta campanha que foi sem dúvida positiva.

Com votos de que este novo ano seja, um ano onde possamos concretizar os nossos projectos, e para que os senhores do mundo acalmem e dêem passos rumo à paz.

Despeço-me sem mais até ao próximo número.

E viva as Taipas!

26