Não foi só pelos maus resultados que sai do Taipas
Quarta-feira, Novembro 30, 2005

Francisco Sousa deixou o CC Taipas à 10ª jornada, depois de 17 anos a representar o Clube.

Como encara esta sida do clube que representou durante 17 anos?
Para mim, foi uma grande decepção, principalmente da maneira que as coisas aconteceram. Foi uma despedida muito inglória por parte da Direcção.
Que motivos encontra para que tal tenha acontecido?
Eu já pensei e repensei e não encontro razões para este despedimento.
Poderão os maus resultados desportivos serem a causa desta decisão?
Na minha maneira de ver as coisas, não teve nada a ver com os resultados. Esta minha saída já estava projectada há algum tempo por parte da Direcção do clube.
Como chegou a essa conclusão? Sentia que não estava a ser apoiado pela Direcção?
De há um mês para trás senti que a Direcção estava um pouco afastada da equipa técnica. Nos primeiros tempos ainda tinha algum apoio, mas a situação foi-se alterando, apenas o presidente aparecia de vez em quando ao campo.
Não lhe propuseram ocupar outras funções no clube, uma vez que já tinha muitos anos de casa e conhecia o clube na sua plenitude?
Eu já sabia que ia ser despedido. Disseram-me para aparecer numa reunião antes de me equipar. Quando entrei, disseramme que estava despedido. Perguntei se não haveria a hipótese de ficar para mais um jogo e aí, se perdesse aceitaria a demissão. Recusaram dar-me esta oportunidade pois já tinham decidido.
Na sua opinião, o plantel tem qualidade para cumprir os objectivos propostos pela Direcção?
Acredito que sim. É um bom plantel e as pessoas estão muito unidas. Quero dizer aproveitar para dizer que as pessoas ficaram muito tristes com a minha saída.
Nestes 17 anos, quais foram os melhores momentos vividos no clube? E os piores?
Os melhores momentos foram as subidas de divisão. Os piores foram, como é óbvio, as descidas de divisão.
De que jogadores guarda melhores recordações?
Não especificar nenhum, porque para foram todos excepcionais. O que me deixa pena, neste momento, é o grupo de trabalho que formei para esta temporada.
Trabalhou com diversos treinadores. Qual o que mais o marcou?
O Artur Correia, o João Cardoso e o Fernando faria foram os que mais me marcaram pela positiva.
Em termos futuros, pretende continuar ligado ao futebol?
Sim. É uma coisa sem a qual não consigo passar.
Se tivesse oportunidade de voltar ao Taipas…
Voltaria, mas não neste momento, nem com estas pessoas.

Artigos Relacionados