PUB
Mudanças em curso
Segunda-feira, Janeiro 13, 2014

Ainda este mês teremos a primeira sessão da Assembleia de Freguesia de Caldelas que, estamos certos, marcará as alterações que vão vigorar durante o mandato.

Balizada por um regimento renovado – e, na minha humilde opinião, mais democrático e mais favorável à participação do público, a nova assembleia recuperará o papel central de debate de ideias e propostas, um papel contrastante com o que se passou num passado próximo onde pontificavam a agressividade e a questiúncula daninhas que afastam os verdadeiramente interessados em dialogar com sentido positivo, promovendo vaidades ocas que parasitam as comunidades fingindo servi-las.

De entre as inovações consensualizadas desde já, destaco a troca do tempo de intervenção destinado ao público. Antes – e ainda nesta sessão, porque nesta sessão vigora o anterior regimento – as pessoas que pretendiam expor problemas ou colocar questões à Assembleia de Freguesia tinham de esperar até ao fim da sessão, quase sempre mais de 3 horas para se fazerem escutar. Agora, o público passa a intervir no início, evitando-se o sacrifício de esperas longas.

É uma experiência que a par de uma maior divulgação das sessões foi concebida com o objectivo de envolver os cidadãos no governo da freguesia, uma inovação aguardado com reservas por parte de alguns temerosos que as sessões fiquem desertas pela saída antecipada do público. Sendo eu defensor da proposta que vai ser introduzida, de que espero consequências benfazejas no melhoramento da democracia local, não posso e não quero deixar de dizer que os argumentos expendidos pelos que a ela se opõem não são despiciendos, não são de desprezar ou subestimar, e seria, quanto a mim, um retrocesso em que as populações são as primeiras vítimas, porque a fiscalização e acompanhamento dos actos e da gestão é a arma mais eficaz no combate à corrupção e ao mau uso do dinheiro dos contribuintes, de que tantos se queixam à mesa do café.

Não deixe para os outros o que lhe compete a si fazer.

26