Medalha de Honra para Bombeiros e José Machado das Neves
Quarta-feira, Maio 9, 2012

Foi aprovado por unanimidade, em sessão ordinária da Assembleia de Freguesia, a atribuição de Medalhas de Honra da Freguesia à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntário das Taipas (AHBVCT) e ao seu actual presidente de direcção José Machado das Neves.

As declarações de voto do PSD e PS foram unânimes no reconhecimento dos altos serviços prestados pela AHBVCT à comunidade taipenses e freguesias circunvizinhas com total abnegação e num grande espirito de missão. A qualidade e referência que os bombeiros da cooperação taipense merecem a nível nacional foi também objecto de regozijo. José Machado das Neves, actual presidente da direcção da AHBVCT, também será agraciado com a Medalha de Honra da Freguesia no próximo dia 19 de Junho, pelo meritório trabalho executado ao longo das últimas duas décadas à frente dos destinos desta associação sendo-lhe reconhecido um papel determinante no profícuo desenvolvimento e dotação de condições de organização e estruturais da associação, sem as quais não seria possível o seu sucesso.

Nesta primeira sessão ordinária da Assembleia de Freguesia realizada em 2012 (4 de Maio) faziam parte da ordem de trabalhos os seguintes pontos:

1- Leitura e aprovação das Actas da Sessão Ordinária de 29.12.2011 e da Sessão
Solene de 20.01.2012.

2- Período antes da ordem do dia, com a duração máxima de cinquenta minutos, para tratamento de assuntos gerais de interesse para a freguesia, sem carácter deliberativo.

3- Apreciação da informação escrita da Junta de Freguesia, relativa a actividade por aquela exercida e sobre a situação financeira da Freguesia, entre sessões.

4- Apreciação e votação dos documentos de prestação de Contas do ano 2011.

5- Apreciação do Inventário dos Bens da Freguesia.

6- Apreciação e votação de proposta de alteração dos artigos 340 e 350 do Regimento da Assembleia de Freguesia.

7- Apreciação e votação de proposta, da Junta de Freguesia, de atribuição de Medalhas de Honra da Freguesia à Associação Humanitária dos Bombeiros
Voluntários das Caldas das Taipas e ao Sr. Presidente da sua Direcção.

No primeiro ponto da ordem de trabalhos a acta da sessão ordinária de 29.12.2011, sessão na qual foi aprovado voto de censura ao membro socialista Ricardo Costa, mereceu o voto desfavorável da bancada do PS que em declaração de voto criticou duramente o documento e a actuação do Presidente da Mesa nessa dita sessão. Parcialidade, dois pesos e duas medidas, juízos de valor, dúvidas sobre a legalidade do voto de censura e relato da assembleia com base na interpretação pessoal do presidente da mesa em vez de relatar os factos, foram as acusações e argumentos que o PS, pela voz de Ricardo Costa, proferiu na sua declaração de voto.

No período antes da ordem do dia, para tratamento de assuntos gerais de interesse para a freguesia, foi aprovado proposta conjunta do PSD e PS de um voto de pesar, com envio de uma comunicação escrita às respectivas famílias, pelo falecimento de Francisco Pereira, ex-comandante dos bombeiros da vila, e de José Ribeiro da empresa Cutipol.

Foi igualmente aprovado um voto de louvor, por proposta conjunta do PSD e PS, à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Caldas das Taipas pelos 125 anos de existência.

O PS propôs ainda um voto de louvor para o médico investigador, Hélder Pereira, e para o professor doutor Miguel Oliveira, ambos taipenses.
O jovem médico investigador taipense, foi reconhecido pelo trabalho ““Regeneração do Menisco Humano por Engenharia de Tecidos: Nova abordagem celular e acelular”, o qual mereceu a principal distinção atribuída pela Sociedade Portuguesa de Ortopedia e Traumatologia. Este trabalho mereceu ainda a importante colaboração de Miguel Oliveira, o qual tem dado também um forte contributo para o sucesso do Grupo 3B’s, sediado no Avepark. Este voto de louvor foi aprovado por unanimidade.

No quarto ponto as contas de 2011 apresentadas pelo executivo foram aprovadas pela maioria social-democrata. O PS votou contra por entender que ao longo de 2011 foram levantadas várias vezes questões sobre situações consideradas duvidosas. Estas questões não foram cabalmente esclarecidas pelo que o PS entende não haver condições seguras para aprovar as contas. Os vários orçamentos retificativos também demonstram falta de rigor na elaboração do orçamento o que reforça o sentido de voto desfavorável.

José Henrique Cunha

Artigos Relacionados