Medalha de Honra da Freguesia aos Bombeiros das Taipas e a José das Neves Machado (VÍDEO)
Quinta-feira, Junho 21, 2012

A cerimónia ocorreu no dia 19 de Junho, dia em que se comemorou o 72.º aniversário de elevação de Caldas das Taipas a vila

O salão nobre dos Bombeiros lotou o seu espaço para homenagear a associação, que está a comemorar os seus 125 anos de existência, e José das Neves Machado, presidente da Direcção desde 1993.

Este reconhecimento recolheu, na sessão do passado dia 4 de Maio, a unanimidade de todas as forças políticas representadas na Assembleia de Freguesia. Na justificação desta atribuição pode ler-se que “a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários das Caldas das Taipas completa 125 anos de existência, a zelar, desde 1887, pela segurança de todos os taipenses, assim como das populações vizinhas, respondendo prontamente a todas as suas solicitações.
São por demais evidentes e relevantes os préstimos desta associação, personificados em todos os homens e mulheres que compõem o seu Corpo de Bombeiros e que, sob o lema “Vita Pro Vita”, abdicam do seu tempo, dão o seu esforço e arriscam a própria vida, para, apenas guiados por um sentido humanitário, garantirem a segurança de vidas e de bens de todos aqueles que, nos momentos mais difíceis, os procuram, e em todos aqueles que a dirigem e dirigiram ao longo de tantos anos”.

Foram elencados os esforços desta Associação no desenvolvimento da vila, destacando-se a aposta na criação de algumas infraestruturas, a expensas próprias, caso do salão nobre, de um auditório, piscina, pavilhão, sem esquecer a remodelação da área administrativa e a ampliação do parque de viaturas e da respectiva frota.

A Medalha de Honra ao presidente da Direcção, Pe. José das Neves Machado, é justificada pelo seu “esforço, sacrifício e abnegação” e pela forma como tem sabido conduzir “a Associação no trilho do crescimento e desenvolvimento das suas infraestruturas, bem como no apetrechamento do seu Corpo de Bombeiros com a formação e os meios necessários à prestação de um socorro à população cada vez mais eficaz e de maior qualidade, com destaque para as novas e modernas instalações para a área operacional”. José Neves Machado, como se pode ler no texto de atribuição desta medalha, “tem sido um exemplo para o associativismo, pelo seu entusiasmo, dedicação e empenho, prosseguindo uma notável acção humanitária, visível e reconhecida a nível nacional e, de modo especial, pelo seu Corpo de Bombeiros e pela população de Caldas das Taipas e das freguesias da sua área de intervenção”.

Na sua intervenção, José Neves Machado afirmou que a medalha aos Bombeiros era merecida e era devida, “temos um corpo de bombeiros que nos orgulha e que leva o bom nome desta vila por todos os lados por onde passa”. Quanto à sua pessoa, mostrou-se grato por tal reconhecimento mas referiu que era “demasiado” e alargou o mérito a toda a equipa que o rodeia: “Não é mim que se presta a homenagem, mas sim a uma direcção que tem orientado esta casa ao longo de quase vinte anos. O trabalho nunca é só de uma pessoa, é sempre de um trabalho de equipa. Já alguém escreveu que “honrarias quem as quer não as merece e quem as merece não as quer”, eu nem as mereço nem as quero.

José Neves Machado, sem especificar a situação, refere que, neste momento, até pode ser, fruto do seu temperamento, um elemento pernicioso para a AHBVT: “Nunca aceitei por esmola aquilo que me seja devido por justiça, não é do meu feitio aceitar uma coisa dessas. Aquilo que deve ser recebido por justiça, nunca deve ser recebido como esmola. Numa das últimas reuniões, os meus pares votaram contra mim e acabei por aceitar. Esmola?! Não!, precisamos que nos façam justiça. É neste sentido que digo que posso ser elemento pernicioso na direcção. É meu feitio pedir uma vez e se a pessoa me diz que não, das duas uma, usarei outros argumentos para a convencer e se a negativa persiste, desisto, pois é sinal de que não há vontade de colaborar.”

De referir que tomaram da palavra os representantes dos partidos na assembleia de Freguesia. Ricardo Costa, por parte de PS e Armando Abreu, pelo PSD. Constantino Veiga, Presidente da Junta local, também dirigiu algumas palavras de circunstância aos presentes. A sessão foi encerrada por Pedro Martinho, presidente da Assembleia de Freguesia de Caldelas.

Artigos Relacionados