PUB
Mau arranque de mandato
Terça-feira, Novembro 29, 2005

Desde logo a começar pela intervenção do presidente da Junta. Ao invés de apresentar um discurso positivo e unificador, tratou de abordar alguns temas que em nada se relacionam com a actividade e as competências de uma Junta de Freguesia e, pior, um discurso que foi aproveitado para lançar críticas ao PS e ataques à minha pessoa.
Julgo que esse discurso em nada honrou aquela cerimónia e muito menos a pessoa que o proferiu. A hora era solene e a campanha eleitoral terminara a 7 de Outubro. O presidente da Junta foi eleito, com maioria absoluta, para governar e cumprir o seu programa e não para atacar a oposição. Mais, se alguém tinha motivos para, naquele acto, lançar algumas críticas era o PS, mas, ao contrário do PSD, achamos por bem dignificar e honrar aquela cerimónia.
Por isso mesmo, e numa atitude de boa fé e de colaboração para com os novos órgãos eleitos, tentamos chamar a atenção para algumas irregularidades e algumas ilegalidades que se cometeram na instalação dos novos órgãos autárquicos.
Surpreendentemente, e como resposta, o Sr. Presidente da Junta, não só não reconheceu a nossa razão, como evidenciou uma atitude autoritarista e prepotente que em nada o abonam.
A principal irregularidade cometida foi a apresentação da proposta de vogais para a Junta que, ao contrário do que estipula a lei, foi apresentada por um membro da Assembleia, quando deveria ser pelo presidente da Junta.
Demonstrando a nossa atitude positiva e colaborante, nunca foi nossa intenção impugnar aquela sessão. Entendemos que os vícios cometidos, embora graves, se revestem de natureza meramente formal.
Porém, como qualquer cidadão eleitor da nossa freguesia poderá, num prazo de três meses, impugnar judicialmente aquele acto, entendo que, para de uma vez por todas terminarem as dúvidas e as incertezas, se deveria repetir a tomada de posse, dentro das regras legais.
Por fim, não posso deixar de aqui me pronunciar sobre a eleição do Sr. Armando Abreu para vogal da Junta. Uma pessoa que nem sequer foi eleita e que apenas ocupava o sexto lugar da lista do PSD, aparece agora como número dois da Junta de Freguesia. Ora, perante isto, é natural que alguns taipenses se sintam enganados…
Espero que este mau início seja compensado, no futuro, com acções políticas que dignifiquem e defendam melhor os nossos interesses. Têm quatro anos pela frente para o fazer e para demonstrarem que são melhores que o anterior executivo, tal como afirmaram, incessantemente, durante a campanha eleitoral.

26