Manifestação de protesto marcada para o dia 3 de novembro, no Porto
Sábado, Outubro 25, 2014

Com a presença de todas as associações de pais do agrupamento das Taipas foi aprovada uma manifestação de protesto junto à Direção de Serviços da Região Norte (da DGEstE), no Porto, por falta de professores de educação especial. Ficou ainda decidido enviar uma nova carta a diversas entidades governamentais e solicitar o apoio da Câmara Municipal de Guimarães

As sete escolas que integram o Agrupamento de Escolas das Taipas promoveram uma assembleia geral, realizada a 24 de outubro, com o objetivo de serem delineadas novas estratégias no sentido de pressionarem a tutela para que seja revisto o número de professores de educação especial colocados neste agrupamento. A assembleia, que contou ainda com a presença de Mário Rodrigues, diretor do agrupamento, deu conta do problema vivido e das tentativas desenvolvidas, até ao momento, para resolver o problema.

Após a discussão gerada com esta situação onde os pais manifestaram a sua preocupação “pela quebra da qualidade do ensino”, fez-se um apelo para serem tomadas medidas que “possam abrir os olhos ao Ministério da Educação”. Foi ainda criticada a “cegueira” do Ministério da Educação que “só vê números e que se esquece que por trás estão crianças muito carenciadas”, chegando um pai a afirmar que “muito possivelmente, a intenção do governo é mandar para casa todas as crianças com necessidades educativas especiais, regressando o país ao tempo em que elas eram fechadas em casa”.

A assembleia entendeu que não se deve avançar, para já, com medidas mais radicais como o fecho de escolas. Assim, ficou deliberado redigir uma nova carta descrevendo a realidade do agrupamento e endereçá-la ao Ministério da Educação, ao Primeiro-ministro, ao Presidente da Assembleia da República, ao Presidente da República e à Comissão Nacional da Educação. Paralelamente, será anexado um abaixo-assinado, posto desde logo a circular, a ser assinado pelos pais e encarregados de educação de todas as escolas do agrupamento.

A manifestação de protesto, apesar da logística que envolve, ficou marcada para o dia 3 de novembro, no Porto. Nesse sentido, as associações de pais apelam a uma presença massiva de todos os encarregados de educação. Serão disponibilizados dois autocarros com a partida marcada para as 8h30 junto à EB 2,3 de Caldas das Taipas.

Recorde-se que na génese deste protesto está o facto de o número de alunos com necessidades educativas especiais ter aumentado neste ano letivo e o número de professores afetos a esta vertente de ensino ter sido reduzido.