PUB
Luis Botelho debate em Pevidém as suas ideias para a Presidência da República. Mudança da sede da presidência para o Paço dos Duques é uma das propostas
Domingo, Novembro 13, 2005

O professor da Universidade do Minho garante que vai conseguir as 7.500 assinaturas necessárias para se candidatar à Presidência da República. Esta segunda-feira debate ideias em Guimarães. Entre elas, a mudaça da sede da presidência para o Paço dos Duques.

Na segunda-feira, 14 de Novembro, terá lugar, no auditório do salão paroquial de Pevidém, pelas 21 horas, uma sessão de esclarecimento e debate do programa cívico do candidato Luís Botelho Ribeiro, professor de Engenharia na Universidade do Minho em Guimarães.

Para o candidato a candidato, a sessão em Pevidém tem um especial significado, num momento em que o país e em particular o Vale do Ave passam por sérias dificuldades.

Nascido em Santo Tirso, Luis Botelho tem 37 anos, reside em Paredes e é professor universitário de engenharia electrónica na Universidade do Minho.

O professor universitário afirmou ontem à Agência Lusa ter já reunido 4.100 assinaturas das 7.500 necessárias para apresentar oficialmente a sua candidatura às eleições presidenciais, objectivo que garante não ter dúvidas de que conseguirá atingir.

Entre as suas principais propostas constam a constituição do presidente como “Provedor do Cidadão”, uma atitude mais vigilante e interventiva, que adopte com o Governo uma atitude de “cartões amarelos” e “cartões vermelhos” em função do êxito ou fracasso das suas políticas e o combate à Burocracia que, segundo disse, “entrava o nosso desenvolvimento e ao mesmo tempo abre campo propício à corrupção”.

Presidência no Paço dos Duques com Galo de Barcelos como símbolo

Mas Luis Botelho quer também instalar permanentemente a Presidência da República no Paço dos Duques em Guimarães, como forma de afirmação do “Espírito de Guimarães”. “Um retorno às origens e ao sentido essencial do Portugal nascido em Guimarães, para aí renovar a inspiração e a motivação para prosseguir rumo ao futuro”, defende.

No site do candidato pode ver-se o orçamento da sua candidatura (com 1.500 euros já investidos na campanha, dos 10.000 euros disponíveis), a agenda do candidato (que inclui a apresentação no dia 15 no Porto, uma intervenção nas VIII Jornadas Pedagógicas de Ílhavo e a presença no concerto dos “Coldplay”), bem como algumas propostas para um novo símbolo nacional e/ou da Presidência da República, que, nas suas versões mais arrojadas, substituem a esfera armilar pelo Castelo de Guimarães, uma guitarra portuguesa ou o galo de Barcelos.

Artigos Relacionados