Juntou-se mais um conto às más relações da autarquia com a Taipas-Turitermas
Quarta-feira, Março 29, 2006

Em pouco mais de meia hora, o executivo de Constantino Veiga “arrumou” a secretária e tratou os cerca de 20 pontos da ordem do dia.

O executivo da Junta de Freguesia de Caldelas realizou a habitual reunião mensal. Repetiu-se o habitual registo expedito na apresentação e tratamento dos assuntos. Como já vem sendo habitual neste mandato, a reunião ficou concluída em pouco menos de uma hora.

Em cima da mesa estiveram assuntos do expediente corrente da autarquia. Destaque para a leitura da notificação da Câmara Municipal de Guimarães dando conta da transferência para a Junta de Freguesia de Caldelas de 8740 euros, que serão pagos em duodécimos até ao final do ano. Esta verba, conforme o que se escutou pela leitura do documento na sessão, deverá ser aplicado em obras de beneficiação da freguesia. O presidente da Junta de Freguesia usou da ironia ao comentar este ponto, dizendo que a Junta iria procurar obras que se encaixassem naquela verba.

O caso do bar CART veio também à baila com a notícia de recepção da Junta de um abaixo-assinado dando conta do alegado funcionamento do bar para além da hora licenciada, assim como para a falta de fiscalização. O texto do abaixo-assinado, também lido da sessão, fazia referência à forma indiferente que os agentes da Guarda Nacional Republicana darão na cobertura da situação. Este abaixo-assinado será, pelo que foi anunciado, encaminhado para a Câmara Municipal, para a Direcção do CART e para o Governador Civil do distrito.

As relações da Junta de Freguesia com a Taipas-Turitermas continuam, ao que parece, em rota de colisão. Desta vez é a obra de remodelação do bar do parque, propriedade da Taipas-Turitermas. A Junta de Freguesia queixa-se que não teve conhecimento formal da intervenção e que iria fazer um pedido de fiscalização à Câmara Municipal.

No período reservado a intervenções do público, Ângelo Freitas elencou diversos pontos que deveriam, no seu entender, ser revistos. Falou, nomeadamente, do trânsito junto às escolas, do tratamento das rotundas e da limpeza do rio. O presidente da Junta, em resposta, referiu que está a ser elaborado um estudo para a gestão do trânsito. A propósito do tratamento das rotunda aproveitou para falar nos jardins e na poda das árvores, achando incompreensível que os plátanos não tenham sido podados. Fez ainda um resumo de uma reunião que terá tido com o vereador Domingos Bragança relatando que este lhe terá dito que arranjar/manter a Avenida Rosas Guimarães com flores é muito dispendioso para autarquia vimaranense.

Texto: Paulo Dumas

Artigos Relacionados