PUB
José Nobre é o novo Director Executivo da Casa da Memória de Guimarães
Terça-feira, Setembro 22, 2015

O Director do Departamento de Cultura, Turismo e Juventude passará a acumular a função de director do novo equipamento que abrirá no dia 19 de Março do próximo ano.

O presidente da Câmara Municipal de Guimarães comunicou hoje, em conferência de imprensa, a nomeação de José Nobre como Director Executivo da Casa da Memória de Guimarães. O município encontrou desta forma uma solução para a prossecução do projecto que vem sendo trabalhado há alguns meses, dentro daquela que é a estrutura interna da Câmara Municipal. O presidente justificou esta decisão como a melhor forma de conter o aumento de despesa com os equipamentos culturais da cidade.

José Nobre, na estrutura da Câmara Municipal é, actualmente, director do Departamento de Cultura, Turismo e Juventude. Domingos Bragança quer que o trabalho que está a ser desenvolvido seja uma referência no país e na Europa e por isso decidiu que a data de abertura da Casa da Memória permita que todos os trabalhos e conteúdos estejam concluídos. Assim, o novo equipamento deverá abrir portas no dia 19 de Março – “é a altura da Páscoa e da Primavera, um momento de renascimento”, justificou o presidente da Câmara.

José Nobre substitui César Machado como Director Executivo da Casa da Memória, cargo para o qual havia sido nomeado a 16 de Maio, mas que apresentou entretanto, no passado dia 15 de Setembro, a sua demissão. Domingos Bragança fez questão de sublinhar que não houve nenhum atraso no processo de instalação da Casa da Memória devido à demissão do seu anterior director.

O trabalho que tem sido desenvolvido nos últimos meses foi apresentado por dois dos coordenadores do projecto, Joana Fernandes e Eduardo Brito. Este trabalho passa pela organização de um conjunto de conteúdos envolvendo agentes individuais e de instituições que integram o imaginário vimaranense. O resultado será reproduzir um espaço onde, apesar de todas as subjectividades que a memória encerra, seja possível “lembrar de Guimarães a partir de Guimarães” – referiu Eduardo Brito.

Como lembrou o vereador da Cultura, José Bastos, o processo de construção da Casa da Memória tem um histórico que remonta à apresentação do projecto de Guimarães – Capital Europeia da Cultura. As antigas instalações da fábrica Pátria foram remodeladas para albergar a Casa da Memória, tendo a obra sido concluída em 2012. O equipamento teve instalações de algumas exposições temporárias no ano da Cidade Europeia do Desporto, com a Exposição História do Desporto em Guimarães; ou no âmbito da Bienal de Arte Têxtil Contemporânea – Contextile.

O processo de instalação da Casa da Memória foi retomado pelo actual executivo, liderado por Domingos Bragança. Após o levantamento de algumas dificuldades de administração e gestão, extensíveis aos restantes equipamentos culturais da cidade, a autarquia chegou a uma solução que permitiu tirar o projecto da gaveta. “A Casa da Memória será um equipamento que fará parte de uma rede de equipamentos que orgulha a cidade de Guimarães” – referiu José Bastos.