PUB
José Luís Oliveira não se recandidata
Sexta-feira, Julho 4, 2008

Vai hoje para as bancas a edição de Julho do jornal REFLEXO. As Festas da Vila e S. Pedro, são o tema central duma edição onde, José Luís Oliveira, anuncia publicamente que não será candidato à Assembleia de Freguesia de Caldelas, nas próximas eleições autárquicas.

A edição n.º 145 do REFLEXO, foi o veículo escolhido por José Luís Oliveira para dar conta publicamente de que não será candidato às próximas eleições autárquicas.

Sobre as Festas da Vila e S. Pedro é publicada uma reportagem, essencialmente fotográfica, de alguns dos diversos eventos realizados, durante o mês de Junho, associados às festividades.

Nota ainda para um trabalho que nos dá conta da perda sucessiva de efectivos na GNR das Taipas. São cada vez menos os militares da GNR afectos ao Posto de Caldas das Taipas.

Nesta edição de Julho, damos início a uma parceria de colaboração regular com o mais badalado dos blogues da nossa praça. Isso mesmo. Nas próximas edições, o REFLEXO vai contar com a colaboração do Polvo das Taipas e com as investigações do Inspector do Cattani. Um espaço para tratar de “Episódios da vida irreal, tentáculos e teias de relações que nada explicam, notícias falsas, boatos infundados, muito fumo sem fogo, tiros no pé… tudo isto e muito mais neste blogue de costumes, politizado e financiado com dinheiros públicos e subornos da oposição. O nosso lema: “O Polvo é quem mais ordena!” – como é assumido pelos seus autores.

Finalmente no desporto, é reproduzida uma reportagem fotográfica relativa ao Torneio de Escolinhas que encerrou a época desportiva deste escalão, no Clube Caçadores das Taipas e são dados a conhecer os novos reforços taipenses para a equipa sénior que voltará a disputar a Divisão de Honra da Associação de Futebol de Braga.

Artigos Relacionados

José Luís Oliveira – PS
Quarta-feira, Novembro 2, 2005

O candidato socialista reconhece que o PSD obteve uma vitória demasiada expressiva e com a qual não estava à espera. Vai assumir o seu lugar na Assembleia de Freguesia e mostra-se disponível para colaborar com a nova Junta desde que estejam em causa projectos de interesse para a freguesia

Foi uma vitória clara do PSD?
Sim. A vitória foi uma surpresa e por esses números ainda mais. Confesso que não estava à espera desta derrota do PS. A chave da vitória do PSD esteve na estratégica que montaram para estas eleições, foram inteligentes no tipo de campanha. No entanto, trata-se de um tipo de campanha que eu nunca faria, com um estilo que eu nunca adoptaria e que pensei que já não daria resultados.
Que tipo de campanha se está a referir?
Toda a gente viu. Relembro dois ou três pormenores. Na última semana da campanha o PSD lançou dois manifestos a atacar o PS, aos quais nós nem sequer respondemos. Foi uma campanha que para além de popular foi também populista, basta referir o exagero de cartazes. Sempre pensamos que seriam penalizados por isso, mas assim não foi. Tendo em conta a vitória final, acabaram por ser mais inteligentes do que todos os outros partidos.
O PS não cometeu erros durante a campanha?
Não encontro nada a apontar à nossa campanha ou que tivéssemos cometidos erros. A campanha correu muito bem, muito digna, sem ataques pessoais, pela positiva e apresentamos a melhor equipa
Então o que explica a derrota eleitoral?
Há dois ou três factores que explicam a votação. O sentido de voto da vila já é mais urbano e nós acabamos por ser penalizados, por alguns eleitores, que quiseram protestar contra o governo. Por outro lado, o cabeça de lista do PSD esteve quatro anos a preparar a sua candidatura, em pré-campanha eleitoral, principalmente nos últimos dois anos, tendo como exemplo máximo, a utilização das festas de S. Pedro. Pessoalmente, fui convidado a três, quatro meses das eleições.
O convite foi demasiado tarde?
Poderia ter sido mais cedo. Tive pouco tempo para preparar a lista e lançar o nosso projecto. Neste aspecto estive em desigualdade em relação aos outros candidatos.
Também um desgaste do PS, evidenciado já há quatro anos atrás?
Há quatro anos a mudança tendeu para o lado da CDU. Aliás foi uma surpresa e ainda não consigo entender (não obstante o Capela Dias me ter desiludido um pouco neste quatro anos pois esperava outro tipo de actuação) a diferença de mais de mil votos entre a lista do PSD e da CDU.
Quanto ao desgaste? Não irei por aí. Não esquecer que neste último mandato foi quando a Câmara governada pelo PS mais investiu nas Taipas. Tivemos o pavilhão do CART, a feira, a variante, a ATL e creche que vai ser inaugurada em Novembro. O próprio PS fez uma renovação da sua lista.
A maioria das obras que referiu foram-se arrastando no tempo e algumas delas, não estão de acordo com o seu nome, caso da variante.
Pode ser uma leitura, pode ser que tenha sido tardio, mas o que é um facto é que foi o ano que mais se investiu nas Taipas.
Todos queremos mais obras e mais rápidas, mas nem sempre é quando queremos.
Falou na CDU e quanto à votação do TAC?
Na minha opinião foi pouco significativa, não conseguiram eleger um único membro para a Assembleia.
Que tipo de postura vão ter na nova Assembleia?
Vamos assumir, os três primeiros elementos da nossa lista vão assumir os seus lugares na Assembleia. O povo quis que estivéssemos na oposição e assim acontecerá, mas sempre de uma forma construtiva, sempre pensando no interesse das Taipas. A nova Junta poderá contar connosco sempre que estiverem em causa projectos de interesse para a freguesia, quanto ao resto estaremos atentos.

Ver reacção de Constantino Veiga.

Ver reacção de Capela Dias.

Ver reacção de Ângelo Freitas.

Ver reacção de Vicente Salgado.

Ver reacção de Remísio Castro.

Artigos Relacionados

José Luís Oliveira será candidato pelo Partido Socialista
Quinta-feira, Maio 5, 2005

José Luís Oliveira será o cabeça de lista, pelo Partido Socialista, às eleições autárquicas na freguesia de Caldelas.

Tal como o jornal avançou na última edição, o jovem advogado será a grande surpresa destas eleições em Caldas das Taipas. Podemos adiantar que José Luís Oliveira será confirmado, oficialmente, na próxima semana, como candidato pelo partido socialista.
Remísio Castro terá feito sentir que estava na hora da renovação da lista do PS. Apesar da constituição da lista ainda estar em fase de preparação, será certo que alguns elementos continuarão (caso do próprio Remísio Castro, mas não nos lugares cimeiros ) e outros deverão deixar de constar nessa lista. O que se apurou é que a lista traduzirá uma aposta forte na juventude.

Artigos Relacionados