PUB
Jornal REFLEXO nas bancas esta semana e pelo menos, por mais 15 anos
Quinta-feira, Abril 2, 2009

Afinal há mais parágrafos a seguir ao ponto final anunciado no “mentiroso” primeiro de Abril. O REFLEXO chega às mãos dos seus leitores, que poderão conhecer o que de mais importante acontece nas Caldas das Taipas e nas freguesias à volta.

O reflexodigital alinhou no espírito do dia e num dos destaques de ontem anunciávamos o fim da edição em papel do REFLEXO. Escreveu-se que a edição de Abril seria a última, após um já longo percurso de 15 anos de edições regulares.

Para credibilizar este anúncio ainda tivemos a ajuda de Teresa Ferreira, à qual desde já agradecemos a colaboração. Sabemos que mesmo se a notícia fosse verdadeira, as palavras escritas seriam as mesmas e a solidariedade estaria presente.

A partir dessa postagem o telemóvel do director não parou de tocar. Todos a lamentarem o facto de termos de acabar com este projecto. É evidente que alguns desses telefonemas também poderão ter estado imbuídos do espírito do 1.º de Abril, não o saberemos!

A partir do meio da manhã, o efeito surpresa tinha desaparecido e as pessoas aperceberam-se que se tratava de uma mentira do dia um de Abril.

No entanto, a justificação que dávamos para o fim do jornal REFLEXO é mesmo verdadeira. No editorial da edição de Abril, Alfredo Oliveira escreve mesmo que “Não é fácil a manutenção de um projecto jornalístico, ainda mais difícil se torna quando a conjuntura económica não é favorável”.

Certo, certo é que o número de Abril do REFLEXO chegará aos leitores a partir de hoje. Este mês destacamos uma candidatura apresentada pela Taipas-Turitermas ao programa PROVERE, integrado no QREN e que procura a valorização económica de recursos endógenos. Caso seja aprovada, a candidatura, no valor de 1.5 milhões de euros, permitirá várias intervenções há muito esperadas no domínio do termalismo e do turismo.

Na capa, uma fotografia do Centro Comercial Pesserelle chama a atenção para a reportagem nas centrais do jornal dedicada ao comércio tradicional. Foram ouvidos vários testemunhos que permitem um retrato, mesmo que parcelar, do comércio taipense. Além disso procuramos algumas pistas para que possamos sair da tão badalada crise.

Artigos Relacionados