PUB
Jornada de reflexão da Taipas-Turitermas no quinto ano de mandato de Ricardo Costa
Sexta-feira, Novembro 21, 2014

Sobre este aniversário, o presidente da direção foi claro ao afirmar que a equipa que lidera mantém “um espírito de inovação” e que ainda “tem muito para dar” e está “no bom caminho”.

Proporcionar um momento de avaliação e monitorização dos resultados obtidos no período de 2009 a 2015 e, simultaneamente, discutir estratégias para o futuro da cooperativa termal taipense foram os temas que dominaram estas jornadas internas da cooperativa taipense.
Já no final do dia e após as visitas à requalificação do edifico termal e ao novo espaço para a fisioterapia, bem como à unidade de produção de sabonetes, Ricardo Costa deu conta do dia de trabalho lançado pela cooperativa a 15 de novembro: “A cooperativa está bem, apesar do momento que atravessa relativamente às obras que estão no terreno e que condicionam o seu funcionamento. O futuro é o que nos interessa. Tudo correndo como o previsto, a 24 de junho teremos a inauguração e aí teremos condições para incorporar novas valências”. Exemplificou com a ligação da fisiatria à ortopedia, que poderá passar a existir no novo edifício. Na parte termal, a área da nutrição poderá ser tida em conta, bem como a dermatologia. Salientou que a Taipas Termal terá capacidade para duplicar os seus serviços, podendo vir a empregar mais de uma dezena de novos empregos qualificados. Novas respostas, caso da piscina própria ligada à fisioterapia, poderão dar resposta a atletas de alta competição. O alargamento do horário de funcionamento também será equacionado se o mercado assim o exigir.
Quanto a receitas, Ricardo Costa está consciente das dificuldades que terá com as contas de 2014 e 2015, enquanto as obras condicionarem o funcionamento da estância termal: “com a abertura em junho, vamos duplicar a capacidade de resposta e estamos convencidos que vamos duplicar as receitas e poderemos aproximar-nos dos 800 mil euros, só na fisioterapia”.