PUB
Joaquim Carvalho coordena projecto de referência na área da arqueologia
Quinta-feira, Outubro 8, 2015

Natural de Caldelas, 45 anos, Joaquim Carvalho é o arqueólogo que coordena os trabalhos de prospecção arqueológica da cidade de Ammaia perto de Marvão no Alentejo. É também um dos coordenadores da Fundação Cidade da Ammaia, criada em 1997.

Nome de Joaquim Carvalho chamou a atenção ao apresentarse como nascido nas Caldas das Taipas, num trabalho que a edição portuguesa da revista National Geographic publicou no seu número de Julho, sobre os trabalhos arqueológicos que estão a ser desenvolvidos perto de Marvão. Os vestígios estão a ser trabalhos sobre o que terá sido uma cidade romana conhecida como Ammaia. Desde 1997 que a Fundação Cidade de Ammaia tem promovido a continuidade dos trabalhos de prospecção e de divulgação dos resultados obtidos.

Mas quem é então este natural de Caldas das Taipas, envolvido em tão importante projecto? Procuramos saber e conhecer Joaquim Carvalho, a quem enviamos um questionário por e-mail, de forma a perceber como teria este taipense ido parar ao Alentejo.

Em 1995 Joaquim Carvalho integrou a equipa da Universidade de Coimbra que iniciou as escavações da cidade de Ammaia. Antes, estudou História/Arqueologia na Faculdade de Letras em Coimbra, cidade para onde se mudou em 1991, ano em que saiu das Caldas das Taipas. Foi em Coimbra que conheceu a sua actual mulher, natural de Castelo de Vide. Por isso, na altura em que, em 1995, foi para Marvão, já conhecia bem o Alentejo.

Devido à distância do local onde reside actualmente e do trabalho que lhe absorve bastante tempo, as suas passagens pelas Taipas não são tão frequentes quanto gostaria, diz-nos. Joaquim Carvalho cresceu na Rabata, junto ao Café do Chiquinho da Rabata. O seu pai, Arménio Carvalho, natural de Miranda do Corvo, veio para as Taipas trabalhar juntamente com o irmão, com quem se estabeleceu com uma mercearia. Antes disso, faziam venda ambulante pelas aldeias e por isso ganharam a alcunha de “azeiteiros” – denominação que se dava aos vendedores que andavam pelas aldeias, onde não existiam mercearias. O seu tio, António Carvalho, é ainda proprietário da casa de pasto que fica ao lado do edifício onde funciona a Junta de Freguesia e onde esteve instalado o Posto Médico das Taipas.

Os seus amigos eram os da vizinhança, na Rabata, mas também na vila. Passava bastante tempo na sede dos Escuteiros, junto à igreja, para onde era levado pelos amigos, embora não fosse escuteiro. Estudou na escola primária de S. Cláudio de Barco, que ficava mais perto de casa. Daí foi para o Ciclo Preparatório, nos pré-fabricados que ficavam numa área perto de onde hoje está o Centro Social das Taipas, até a escola ficar pronta em 1982. Depois foi para o Liceu Martins Sarmento, em Guimarães, onde estudou na área de humanísticas. Concluiu o 12.º ano na Escola Secundária das Caldas das Taipas e nesse ano fez parte da primeira associação de estudantes daquela escola.
Desse tempo, lembra-se de andar mais pelo café Classik e de ir com os amigos para as discotecas na Póvoa de Lanhoso.
São muitos os amigos de que se recorda dessa altura: o Armando
Marques, o Ricardo Fertuzinhos, o Ché, o Miguel, a Conceição, a Elisabete Freitas e muitos outros – “sempre me dei bem com toda a gente”, conclui.

Desde 1995, ano em que concluiu o curso na Universidade de Coimbra, que trabalha na Ammaia. Passou pelo município de Castelo de Vide e juntamente com a sua mulher Sofia criou uma empresa de serviços de arqueologia. Acompanha o projecto da Ammaia desde o início, onde, entretanto, foi construído um museu e são desenvolvidos diversos projectos científicos com instituições provenientes de vários pontos da Europa.

Tem estado ligado também à Universidade de Évora onde deu aulas e colabora com o Departamento de História. Actualmente trabalha na Fundação Ammaia, onde coordena os trabalhos de escavação do sítio, entre outras incumbências – “a cidade Romana de Ammaia sempre foi uma daquelas cidades em que muitos arqueológos sonharam trabalhar, numa busca romântica pelos seus achados”, confessa.

CONHEÇA MELHOR A CIDADE DA AMMAIA
Reportagem “Ammaia, Radiografia de Uma Cidade Romana” [link]
Vídeo sobre o Império Romano e a cidade de Ammaia [link]
Site da Fundação Cidade de Ammaia [link]