Inteligência a mais…
Quarta-feira, Outubro 10, 2012

Andando pela vida com os olhos abertos, sentindo na pele os efeitos da austeridade, dou comigo a ter que reconhecer que andam por aí uns tantos a quem sobra inteligência, o que lhes permite o luxo de tratar os outros por “ignorantes”, arrogando-se o direito de lhes prometer chumbo certo no “seu curso” da “sua universidade”.

O professor António Borges descobriu, nos meandros da sua competência técnica, que o que o povo precisa é de “porrada”, começando pelo aumento da TSU para os trabalhadores, quantia que seria entregue, quase na totalidade, aos empresários que, em função da sua sensibilidade, lhe dariam o destino adequado.

Ora aqui está um exemplo que ilustra, de forma que o comum dos mortais entende, o desfasamento ou até o antagonismo entre o saber tecnocrata ou sapiência do catedrático e a vida real, aquela vida que efetivamente conta.

Borges pertence àquele grupo reduzido de “figurões”, com pose de tudo saber acerca de tudo, que vão ocupando os espaços do comentário nos órgãos de comunicação social.

Com uma diferença: Borges, desta vez, não é um mero comentador. Borges é conselheiro do Governo de Passos Coelho e vem tratando de privatizar o Pais, para o que tem bons contactos e amigos.

O teste a que Borges foi submetido e o “chumbo” que lhe foi dedicado por parte dos empresários que, diariamente, lutam para manter os postos de trabalho e não se renderam à ignóbil, apesar de “inteligente”, medida de aumento da TSU para os trabalhadores, atestam a sua incapacidade para propor seja o que for, devendo ser-lhe sugerido que regresse rapidamente ao mundo da “economia de casino”, lugar de onde nunca deveria ter saído.