PUB
Instituto Ibérico de I&D irá para Braga (7 comentários)
Terça-feira, Outubro 17, 2006

A notícia é do JN desta terça-feira, onde se lia que “oficialmente ninguém assume a decisão, mas que este foi o “resultado da «negociação» com o Governo que levou a eleger Guimarães como capital europeia da cultura”

A criação do Instituto Ibérico de Investigação & Desenvolvimento foi uma das decisões dos primeiros-ministros de Portugal, José Sócrates, e de Espanha, José Luíz Zapatero, na primeira Cimeira Luso Espanhola, em Novembro do ano passado.

Na altura, o presidente da autarquia de Braga convocou os jornalistas e posicionou-se de forma a tentar garantir o instituto para o seu concelho.

Algumas vozes em Guimarães levantaram-se contra essa localização e defenderam o AveParque, das Taipas, como o local certo para o instituto.

Muita tinta correu nos jornais e em comunicados.

A decisão parece agora estar tomada, apesar do anúncio oficial só ser esperado para a próxima cimeira, no final deste ano.

O Ministro Mariano Gago referiu há tempos, na UMinho, que o processo de escolha da localização do III&D será da responsabilidade de uma comissão técnica que até Outubro deverá entregar um relatório acerca da localização do Instituto, que depois será ¡analisado pelos governos de Portugal e Espanha.

A notícia do JN terá provavelmente como base esse relatório.

Aguardam-se as cenas dos próximos capítulos e mais alguma tinta.

________________________________
COMENTÁRIOS A ESTA NOTÍCIA

Se não fosse dramático este caso era ridículo. Anda o Governo PS/Sócrates a pregar alegada superioridade moral em torno do combate contra o despesismo, pela redução do défice das contas públicas, encerrando escolas, maternidades e urgências hospitalares em nome da poupança e eis que decide gastar dinheiro dos contribuintes mal gasto, apenas e só para calar a verbe do Sr. Presidente da Câmara de Braga, agastado com a candidatura de Guimarães a Capital Europeia da Cultura, em prejuízo de outras cidades, nomeadamente Braga.
É que Governo e Câmara de Guimarães já enterraram milhares e milhares de euros em terrenos e infra-estruturas no AvePark a nascer na fronteira Taipas-Barco. A vocação do AvePark e as parcerias que persegue encaixam perfeitamente no espírito de um instituto de investigação com as características apontadas para o Instituto Ibérico, como aliás a própria Universidade do Minho admite. Por isso ninguém percebe a racionalidade desta decisão política partidária. Se dúvidas houvesse quanto à inconsistência económica das medidas ditas reformadoras deste Governo, elas acabam de ser desmascaradas e desmentidas. Porque amor com amor se paga, o Sr. Presidente da Câmara de Guimarães deve felicitar o seu correligionário de Braga e oferecer o AvePark para instalar o Instituto Ibérico de Investigação e Desenvolvimento. Ficávamos quites e recuperávamos parte importante do muito que lá está aplicado. Ele há coisas fantásticas, não há?
Cândido Capela Dias  2006-10-17  12:24h.

Rebuçado para Guimarães, cidade candidata à “Capital Europeia da Cultura”! Oferta do nosso “querido” governo! Ai!, não chores Braga que vais ter também um rebuçadito com a instalação do “Instituto Ibérico de Investigação e Desenvolvimento”. Com estas malabarices acriançadas da política PS, as Taipas fica a “ver navios” quando havia uma grande aposta dos governantes de Santa Clara afim de não deixar fugir para Braga o referido Instituto, e este ser instalado no “AveParK” das Taipas! E esta, taipenses! Tudo por causa da(s) vaidade(s) à espanhola do querer ser tudo, património, ser capital… e tal, e tal! Já agora, por causa das vaidades, têm conhecimento de quantos metros de saneamento tem da nova freguesia, a sessenta e nove (Corvite)? Às vezes não quero acreditar que nasci e vivo, infelizmente, num domínio autárquico autenticamente semelhante ao que acontece num idêntico de um país do terceiro mundo!
Ângelo Freitas 2006-10-18 00:20h

Mas alguém teria ainda alguma dúvida que tal iria acontecer? O governo a um deu o pão ao outro a sardinha… e enquanto comem não dizem nada, pois é “feio falar de boca cheia”.
Bem, vamos esperar e ficar atentos, e fazer com que Guimarães seja uma CEC que fique na memória de quem cá vier visitar-nos.
J. Silva 2006-10-18 08:42h

A localização do Instituto Ibérico no Minho é uma grande vitória para a região. Resumir a localização do Instituto a uma questão paroquial é demasiado redutor e indicador de ignorância sobre estes assuntos. O Avepark foi criado em Março de 2004 com um projecto em que não se previa a possibilidade da criação de um instituto (que ainda não se sabe bem o que será). Este projecto Avepark, visa a localização na região de empresas com potenciais tecnológicos, transferência de conhecimento da Universidade do Minho e a dotação da região com um nova economia do conhecimento. Note-se que até à presente data o Instituto Ibérico não tem a presença da Universidade do Minho. O Avepark nasce para a localização de empresas tecnológicas visando o aumento da competitividade da região e já mais se reduzirá a um mero papel local. É pena que “alguns” nestes casos aproveitam a situação para esgrimir politicas caseiras e se esqueçam rapidamente do papel importante que a infra-estrutura Avepark pode ter no contexto regional e ao mesmo tempo tentem branquear a localização no Avepark do Instituto Europeu de Excelência de Engenharia de Tecidos e Medicina Regenerativa único Instituto a nível Europeu em Portugal.
Carlos Remísio  2006-10-18  11:02h.

Dar o falado pelo não falado (“o dito pelo não dito”) Senhor Carlos Remísio Castro! Já se está a ver que não há mais rebuçados, mesmo com o fim da crise!
Não discordo totalmente da sua opinião, sabendo-se que o Avepark foi criado com um projecto em que não se previa a possibilidade da criação de um instituto. Então, como vai explicar aos paroquianos a existência de tanta guerra de palavras entre a capital do Minho e a cidade que preside, sobre a localização deste tão importante instituto?
Porque se gastou tanta tinta e papel de jornal, tanta entrevista para as Rádios?
O senhor Carlos deve saber que, um bom paroquiano quer que os seus filhos façam a doutrina na sua localidade (paróquia).
Ângelo Freitas  2006-10-18  14:52h.

Obviamente, que enquanto taipense, preferia a instalação do Avepark cá…mas se ele for instalado em Guimarães, continuará a ser bom, os seus benefícios produzir-se-ão. Agora, as Taipas não usufruirá na plenitude, o que é pena… mas sendo do concelho tirará vantagens…
Não conheço as razões das mudanças. Se são politicas ou estruturais? Mas, não poderemos agora criar entraves e por em causa o desenvolvimento do concelho.
Se o Avepark criar emprego, que é algo escasso em Guimarães, já é uma vitoria…
A formação técnica de pessoas ligados ao têxtil é importante…somos um concelho onde a industria dominante é a têxtil e a formação de pessoas nesse campo é reduzida e se queremos crescer e ultrapassar a crise temos de apostar na qualidade e isso só com a formação..
Temos de nos capacitar que para produção a baixo preço temos os países asiáticos com a China à cabeça…
Era só uma reflexão de, como tem sido dito, alguém novo mas que se tenta interessar e dar a sua opinião…
Saudações Taipenses!!!
Carlos Silvério  2006-10-21  17:01h.

 

Caros Taipenses,
Sou um dos Investigadores do grupo 3B’s da Universidade do Minho, o mesmo grupo e único português que coordena uma rede Europeia de Excelência. Neste momento encontro-me a fazer trabalho científico em Osaka-Japão, mas venho fazer um apelo como Taipense. É com uma enorme satisfação que assisto à instalação do Instituto Europeu de Engenharia de Tecidos e Medicina Regenerativa no Avepark. E deixem-me que lhes diga imparcialmente, que esta é uma grande vitória para as Taipas e é fruto dos esforços do Engenheiro Carlos Remísio (o sonho de um homem, o desejo de um grupo e uma estratégia para uma região). A questão é que apesar de assistir de longe a toda esta polémica envolvendo o local onde Instalar o Instituto Ibérico, sinto o dever de vos deixar aqui alguns comentários para que os ilustres Taipenses possam ponderar e emitir as suas opiniões de uma forma mais esclarecida. Caros Taipenses temos de ter consciência que não pudemos ter tudo… se bem que em Portugal reina a teoria do tudo ou nada… e no final acabamos sempre com o nada! O grupo 3B’s tem um financiamento próprio, e repito próprio de 30 milhões de euros, com recursos humanos especializados. O Instituto será constituído por 150 Investigadores… não contabilizado os demais parceiros Europeus; os melhores nesta área, ao nível mundial. Sim! Seria uma mais valia para o AvePark se o Instituto Ibérico ficasse aí instalado, mas não o é para a viabilidade e sucesso do Parque Tecnológico. Por isso deixemo-nos de lamúrias e centremo-nos no fundamental. Há que definir prioridades e criar condições para atrair outros potenciais investidores. Se não conseguirmos o Instituto Ibérico temos de criar condições para que, no futuro, o Parque possa ser mais atractivo. Porque o raciocínio lógico não passa por querer ter tudo, mas sim que aquilo que conseguirmos seja sustentável e encaixe na estratégia do Avepark. Mas vejo que os Taipenses apenas se preocupam em ter as coisas e não em sustentá-las!!! Depois assistimos a falências e desemprego (vejamos a realidade das Cutelarias). Temos sim de reivindicar outras coisas tais como, melhores acessibilidades, melhor educação e qualidade de vida para atrair recursos humanos qualificados e investimento, segurança e infra-estruturas básicas. Estes sim serão um catalisador para o sucesso do Avepark, o epicentro do desenvolvimento da nossa região e consequentemente das Taipas. Não podemos dar um passo em frente… e dois atrás! Onde está o diálogo com a Câmara de Guimarães!!!!!!! Por isso, temos de acabar com as fracturas e unir esforços, pelo menos no que diz respeito a esta temática. Temos que estar todos em uníssono, definir estratégias e esquecer as cores partidárias, tudo em prole do desenvolvimento das Taipas. Este sim, é o caminho árduo e o grande desafio para os ilustres Taipenses!!!

Os melhores cumprimentos,

Miguel Oliveira 2006-10-23 09:17h.

Artigos Relacionados