PUB
Implementação do “Projeto Raízes”em todo o concelho rejeitado pela maioria socialista
Quarta-feira, Fevereiro 10, 2016

A coligação Juntos por Guimarães pretendia que o “Projeto Raízes”, com o qual se pretende dar respostas aos que necessitam de maior acompanhamento social, fosse alargado a todo o concelho. O PS votou contra e a CDU absteve-se

O rosto desta iniciativa, André Coelho Lima, defendeu que o projeto “Raízes” tem um impacto social significativo, ao nível da proximidade das soluções sociais, no levantamento das questões sociais de maior marginalidade e no encaminhamento dessas situações.

O líder da coligação JpG entende que o executivo não compreendeu o alcance desta proposta. Referiu que a Câmara tem realmente serviços de apoio na área social, mas não com “a proximidade aos cidadãos”, que o Projeto Raízes proporciona: “Faltou alguma humildade democrática por parte dos socialistas. A Câmara continua a não aceitar a colaboração de quem está na oposição. Daqui a uns meses, e os vimaranenses já estão habituados a isto, vai aparecer algo que cubra esta proposta”.

Durante a discussão deste ponto, Domingos Bragança ainda sugeriu a retirada da proposta. Esta eventualidade foi entendida por André Coelho Lima como uma “provocação”, acrescentando que tal revelava a “maior demonstração de falta de maturidade democrática e de humildade de quem está na Câmara”. Sem se deter, o líder social-democrata afirmou que o “presidente da Câmara quer que a oposição não exista ou que entregue no seu gabinete as propostas para ele apresentar como suas. Isso é totalitarismo, até me custa, alguém do PS, a defender a anulação das instituições democráticas”.

André Coelho lima entende que se o presidente da Câmara estivesse interessado em “burilar a proposta” lhe deveria ter telefonado, pois já a conhecia desde 27 de janeiro, tendo a mesma sido apresentada publicamente.
Não se esqueceu das palavras da vereadora Paula Oliveira, responsável pela área social, porta-voz do “não” socialista à proposta em causa: “O discurso foi no sentido que a proposta é insuficiente porque o nosso projeto é mais ambicioso, mas não o justificou”.

A PROPOSTA APRESENTADA
O «Projeto Raízes» foi um dos projetos vencedores do Orçamento Participativo 2013, tendo mesmo sido o primeiro classificado.
O projeto consiste na existência de um gabinete multidisciplinar com técnicos sociais, nomeadamente psicólogos e assistentes sociais. A função destes técnicos, como consta na proposta, “é a de identificar todas as situações merecedoras de acompanhamento e sinalizar todas aquelas que detenham potencial de marginalidade social, acompanhando-as, amparando-as, assegurando o tratamento técnico adequado e, quando se trate de situações de maior complexidade, comunicar às entidades que deverão acompanhar”.

Em concreto, a proposta da coligação PSD/CDS propunha o seguinte:
1) Seja adotado o «Projeto Raízes» – em vigor na freguesia de Moreira de Cónegos para toda a área da Comissão Social Inter Freguesias “Sul Nascente” – com uma extensão alargada a todo o concelho de Guimarães;
2) O alargamento do «Projeto Raízes» deve enquadrar-se numa lógica de colaboração entre freguesias, pelo que deverá ser atribuída uma área de projeto a cada área geográfica das comissões sociais inter freguesias do concelho de Guimarães, competindo a cada uma dessas comissões sociais a gestão do respetivo projeto.

Como custos deste alargamento a coligação apontava um valor próximo dos 400 mil euros, atendendo a que o “Projeto Raízes” em vigor na área da Comissão Social Inter Freguesias “Sul Nascente” tem um custo anual na ordem dos 33 mil euros.