Idanha-a-Nova acarinha (Jornadas de) Educação Ambiental
Segunda-feira, Fevereiro 7, 2011

Nem o frio que se fez sentir na última semana de Janeiro, na Beira Baixa, desmobilizou os cerca de 200 participantes das XVIII Jornadas Pedagógicas de Educação Ambiental para a Sustentabilidade a vir a Idanha-a-Nova. Estas Jornadas decorreram, na Escola Superior de Gestão em Idanha-a-Nova, entre 28 e 30 de Janeiro de 2011, sob a temática “PAISAGENS EDUCATIVAS” – que “são locais onde um programa de aprendizagem foi desenhado para permitir aos usuários interagir com o meio ambiente”.

O evento foi organizado pela Associação Portuguesa de Educação Ambiental (ASPEA) em conjunto com a Câmara Municipal de Idanha-a-Nova, o Geopark Naturtejo e a Escola Superior de Gestão do Instituto Politécnico de Castelo Branco. Contaram com o apoio da Agencia Portuguesa do Ambiente (APA), da Comissão Nacional da UNESCO, entre outros. Os participantes foram professores, técnicos de Educação Ambiental, animadores culturais, Organizações Não Governamentais e Autarquias.

Em simultâneo com as Jornadas decorreu para os Educadores de Infância e Professores do Ensino Básico e do Secundário um Curso de Formação Contínua, acreditado, intitulado “APRENDER FORA DE PORTAS”.

No âmbito deste evento, ainda no dia 28, foram organizadas umas Pré-Jornadas destinadas aos alunos da EB1 de Idanha-a-Nova, que consistiram na realização de oficinas de Expressão Plástica sobre a floresta.

Ficaram também desde dia 28 de Janeiro, patentes ao público em geral e aos participantes das Jornadas, no Centro Cultural Raiano duas exposições intituladas: “Retratos Raianos em risco”, da autoria do ilustrador Fernando Correia e “Biodiversidade”, coordenada pelo Instituto de Conservação da Natureza e da Biodiversidade.

A programação das Jornadas foi extremamente rica em actividades, nomeadamente: as oficinas, as comunicações, os posters, os filmes, a animação cultural, as exposições, as conferências, e as saídas de campo (I-Rota dos Fósseis de Penha Garcia; II-Monte-Ilha de Monsanto; III-A Avifauna em Salvaterra do Extremo e Segura; IV- A Aldeia Histórica de Idanha-a-Velha).

O balanço no Domingo à tarde era bem positivo, pois muitos rostos espelhavam satisfação ao chegar das Saídas de Campo e expressavam palavras de contentamento.

Valeu a pena ter sonhado no topo da Lagoa do Fogo, na Ilha de São Miguel, há um ano atrás, com estas Jornadas em Idanha-a-Nova e ter lançado o desafio à ASPEA de as trazer para cá. O meu sonho, com o empenho e colaboração de muitos pôde tornar-se uma feliz realidade para o meu concelho e o Geopark Naturtejo.