PUB
Herdmar representa cutelarias em visita ao Parlamento Europeu
Quinta-feira, Março 12, 2015

A AIMMAP – Associação dos Industriais Metalúrgicos, Metalomecânicos e Afins de Portugal esteve em Bruxelas, no final do mês passado, para apresentar, a várias instituições europeias, as capacidades inovadoras e diferenciadoras das empresas portuguesas do sector.

José Avelino Marques, um dos sócios da Herdmar e dirigente desta associação, integrou a delegação que, entre outras acções, foi ouvida no Parlamento Europeu (PE), numa “public hearing” apoiada pelo eurodeputado Nuno Melo e na qual esteve presente o comissário europeu Carlos Moedas.

Na curta entrevista que abaixo transcrevemos, José Avelino Marques explica os objectivos e resultados da visita, confirma o crescimento das exportações do sector e fala das oportunidades nos programas de financiamento que recentemente abriram a nível europeu e nacional.

Quais os principais resultados desta visita?
Nesta visita tivemos um conhecimento da realidade do funcionamento do Parlamento Europeu, bem como as ideias do plano Juncker. Soubemos também que o PE pretende criar menos, mas melhor, legislação. Tivemos oportunidade de expor às Instituições Europeias as nossas preocupações e desafios do sector para o futuro. Criámos sinergias importantes com a REPER (a representação portuguesa permanente em Bruxelas) e outros portugueses na defesa do interesse das nossas indústrias. Tivemos, além disso, a oportunidade de reunir com o Comissário Europeu Carlos Moedas e também com o eurodeputado Nuno Melo, para abordar as necessidades das nossas indústrias.

As exportações do sector, como um todo, aumentaram 30% nos últimos 4 anos. As empresas de cutelarias seguem esta tendência?
O sector das cutelarias nos últimos anos tem tido um crescimento nas suas exportações e tem acompanhado, em geral, este ritmo de crescimento.

Que oportunidades vê para o sector das cutelarias no âmbito do Horizonte 2020?
No Horizonte 2020 veja dificuldades, devido à dimensão da nossa indústria e às dificuldades de elaboração e acompanhamento dos projectos. Mas no quadro nacional, o Portugal 2020 está feita mais à nossa dimensão e a uma menor distância de resolução de problemas que possam surgir. De qualquer forma, a AIMMAP está a criar uma área para o acompanhamento dos projectos do Horizonte 2020, na área da investigação e desenvolvimento, que possam ser aplicadas no sector e aí introduzir as empresas que possam colher algumas sinergias desse conhecimento.