PUB
Guimarães com projecto-piloto “inovador” na área da recolha de RSU
Sexta-feira, Novembro 27, 2015

O modelo aplica o princípio do poluidor-pagador e será experimentado no centro histórico de Guimarães. Os comerciantes e moradores passarão a ter um saco próprio para depositar o lixo e terão horas para o entregar.

A autarquia vimaranense e a empresa municipal Vitrus apresentaram no passado dia 21 de Novembro um novo sistema de recolha de resíduos sólidos urbanos, tido como “inovador” em Portugal.

A implementação deste projecto-piloto, que avançará apenas no Centro Histórico de Guimarães, traduz-se na substituição da taxa paga pelos munícipes pelo serviço de recolha de lixo, que é paga juntamente com a factura do abastecimento de água, por uma outra taxa, que será cobrada em função dos resíduos produzidos pelos comerciantes e munícipes do centro histórico.

O sistema PAYT, um acrónimo de uma expressão em inglês “pay as you throw”, que traduzida dará algo como “pague pelo lixo que produz”, converte na prática um princípio há muito defendido ao nível das políticas de ambiente e em particular da gestão de resíduos sólidos urbanos (R.S.U.).

Com este sistema, a Vitrus espera uma redução na produção de resíduos sólidos urbanos na ordem dos 30%. Este número é baseado em exemplos de aplicação deste modelo em países do norte da Europa. Desta forma, será possível monitorizar, de forma mais precisa, a produção de lixo indiferenciado e a pegada ecológica da população.

O moradores do centro histórico de Guimarães passarão a ter um saco próprio e horas para a entrega do lixo. Os resíduos indiferenciados, ou seja, aqueles que não vai para os ecopontos, deverão ser introduzidos num saco que será vendido pela Vitrus para esse propósito. Em vez de o lixo ser depositado na rua, passará a ser recolhido por colaboradores da empresa municipal.

Foto DR