PUB
Guimarães Jazz cruza culturas em edição comemorativa
Sábado, Novembro 5, 2016

O festival de jazz de Guimarães terá o seu concerto inaugural este sábado 5. Pelo grande auditório do CCVF passarão o Lisbon Underground Music Ensemble, a Banda Musical de Pevidém e o BJazz do Convívio.

Dez anos depois de ter passado por Guimarães, na altura ainda com o seu líder Charlie Haden, entretanto falecido, a Liberation Music Orchestra regressa a Guimarães para encerrar a 25.ª edição do Guimarães Jazz. O colectivo é agora liderado pela pianista Carla Bley, que na edição de 2006 também esteve no grande auditório do Centro Cultural Vila Flor.

O cartaz apresenta um rol de doze concertos, com a novidade de, em 2016, o festival inaugurar com a apresentação conjunta do LUME, da Banda Musical de Pevidém e do coro BJazz, do Convívio. Este concerto inaugural foi uma proposta da direcção do Guimarães Jazz, numa tentativa de criar relações directas entre músicos convidados e instituições de Guimarães. O LUME – Lisbon Underground Music Ensemble é liderado por Marco Barroso, que coordenou o desenvolvimento deste concerto conjunto, que está marcado para às 22 horas do dia 5 de Novembro.

A restante estrutura do festival irá manter-se como tem sido hábito, com os concertos a serem organizados em duas semanas, com início a 10 de Novembro e encerramento a 19. O reportório de Miles Davis, músico fundamental da história do jazz será revisitado pelo San Francisco Jazz Collective, grupo de oito elemento onde militam alguns dos mais reputados músicos de jazz da actualidade.

Sexta-feira, dia 11 de Novembro será a vez do baterista Matt Wilson apresentar o seu quarteto, composto por Kirk Knuffke no trompete, Jeff Lederer no saxofone e o contrabaixista Chris Lightcap. Matt Wilson iniciou-se como lider em 1996, altura em que lançou o disco “As Wave Follows Wave”, no qual participou o saxofonista Dewey Redman.

No sábado 12 estão programados o Quatro a Zero, grupo de músicos brasileiros que estabelecem laços entre o jazz e géneros tradicionais brasileiros, com concerto marcado para as 17 horas, no pequeno auditório. À noite será a vez do saxofonista Rudresh Mahanthappa, altura em que apresentará “Bird Calls”, disco lançado no ano passado. Este será mais um momento de cruzamentos culturais através da música. Mahanthappa explora as suas origens indianas. Entretanto, aproveita para revisitar o legado de Charlie Parker.

O último dia da primeira semana de Guimarães Jazz, marcado para domingo às 17 horas, estará a cargo da Big Band e do Ensemble de Cordas da ESMAE, que nesta altura será dirigida por Jamie Baum, que mais tarde se apresentará como líder no seu septeto, na quarta-feira 16. Ainda no domingo, à noite será a vez da habitual apresentação fruto da colaboração entre o Guimarães Jazz e a editora Porta-Jazz.

A última semana reserva ainda concertos do Ambrose Akinmusire Quartet e Donny McCaslin, saxofonista que trabalhou no derradeiro disco de David Bowie e, no último dia do festival espera-se dose dupla com Adam Bałdych & Helge Lien Trio e da já mencionada Charlie Haden´s Liberation Music Orchestra.