Guimarães, Cidade de Educação
Quinta-feira, Fevereiro 4, 2016

Uma cidade moderna, inteligente e inclusiva precisa de uma população qualificada, inovadora e empreendedora. É este o papel da escola do século XXI, preparar cidadãos com futuro, cidadãos que se envolvam com o seu mundo, cidadãos pró-ativos, conscientes do seu lugar e do seu papel no mundo moderno.

E Guimarães quer isto e muito mais, quer ser uma Cidade de Educação, quer apostar nas pessoas, quer apostar na nossa identidade, quer apostar no nosso património, quer apostar na nossa História local, quer apostar nas artes que fazem do Homem um ser melhor, mais sensível, mais aberto, mais interventivo, mais empático, alguém que compreende melhor o mundo que o rodeia. E Guimarães quer ainda a cereja no topo do bolo, quer ser Capital Verde, quer que os homens e mulheres de Guimarães tenham uma melhor qualidade de vida, que sejam mais saudáveis, que tenham uma cidade e um território ambientalmente sustentável.

Todas estas vontades se constroem na escola, no tempo e no espaço em que as crianças e os jovens estão predispostos para aprender. E a escola não pode ser só currículo nacional, tem de inserir o nosso património (Projeto Passaporte), tem de ensinar outra forma de viver, mais amiga do ambiente (Projeto PEGADAS, Educabicla, Eco Parlamento…), tem de incluir as tecnologias como ferramenta de aprendizagem (Projeto + Cidadania), tem de preparar os alunos para a inovação (Projeto “Ter Ideias para Mudar o Mundo”, Projeto Escolas Empreendedoras IN.AVE), tem de preparar os alunos para as literacias (projetos de articulação com as Bibliotecas Escolares), tem de preparar os alunos para o exercício da cidadania (Orçamento Participativo Escolas).

É este o projeto do Município de Guimarães, colocar desafios às escolas, dar condições para o desenvolvimento de projetos. É este o maior investimento, nas pessoas, nos futuros cidadãos.

Vereadora da Educação do Município de Guimarães