PUB
Gabinete de Imprensa considera “Trigal” melhor jornal escolar do vale do Ave
Domingo, Março 28, 2010

O jornal da Escola Secundária das Taipas foi considerado o melhor jornal escolar editado numa Escola Secundária ou Profissional no IV Concurso de Jornais Escolares, promovido pela associação GI de Guimarães.

A cerimónia de entrega de prémios decorreu na passada quarta-feira, 24, no Fórum Fnac, em Guimarães. Ao todo foram distinguido dois jornais e cinco alunos do ensino Básico e Secundário do Vale do Ave.

O jornal da Escola Secundária de Caldas das Taipas “Trigal” foi considerado o melhor jornal escolar na categoria de Ensino Secundário e Escolas Profissionais. O júri constituído pelos jornalistas Eduardo Jorge Madureira (Público), Luísa Teresa Ribeiro (Diário do Minho) e Ana Francisca Monteiro (Gabinete de Imprensa de Guimarães) valorizou os critérios de espírito crítico e criatividade, relação com a comunidade, participação de alunos e professores de diversos anos de escolaridade, diversidade de géneros, escrita correcta e rigorosa e a qualidade do grafismo para avaliar os jornais a concurso.

A escola foi assim contemplada com um gravador de voz digital, oferecido pela Fnac, e dois livros, além do diploma que comprova o prémio atribuído pelo Gabinete de Imprensa. A associação distinguiu também o o jornal “Novas do Gil”, editado no Agrupamento de Escolas Gil Vicente, de Urgezes, como a melhor publicação do Ensino Básico (2º e 3º Ciclos).

O IV Concurso de Jornalismo Escola atribuiu também prémios aos melhores textos publicados nos jornais das escolas concorrentes. Na categoria de Ensino Secundários o prémio foi atribuído a Carlos Novais, aluno do 11º ano da Escola Secundária da Póvoa de Lanhoso, pelo texto “Difícil é ser sincero”, publicado no jornal “Preto no Branco”.
No que aos textos publicados em jornais do Ensino Básico, o júri decidiu atribuir “ex-aequo” aos artigos “João Rodrigues e o Downhill”, escrito por João Luís e Pedro, alunos do 8º ano da Escola EB 2,3 Gil Vicente, publicado no jornal “Novas do Gil”. O prémio foi divido com duas colegas de escola e de jornal, Diana e Ilíada, autoras do artigo “Guimarães – Candidata a Capital Europeia da Cultura”.

Ao todo, nove jornais de outras tantas escolas EB 2,3, Secundárias e Profissionais do Vale do Ave concorreram a esta iniciativa do Gabinete de Imprensa de Guimarães. Foram eles: Afonsinho (Escola Secundária D. Afonso Henriques), 001 – Ordem para ler (Escola Secundária da Trofa), Perto no Branco (Escola Secundária da Póvoa de Lanhoso), Janela Aberta (EB 2,3 Vila das Aves), Diz que é uma espécie de jornal… (Agrupamento Vertical de Escolas de Silvares), Leituras (Escola Profissional CIOR), Página da Escola (EB 2,3/S Santos Simões), Novas do Gil (Agrupamento de Escola Gil Vicente) e Trigal (Escola Secundária de Caldas das Taipas).
Os prémios entregues na passada quarta-feira tiveram o apoio da Fnac de Guimarães, que patrocinou os prémios para os melhores jornais escolares, da Câmara Municipal de Guimarães e da Editora Opera Omnia.

Paralelamente à entrega dos prémios, o Gabinete de Imprensa de Guimarães promoveu um debate sobre “O impacto dos jornais escolares na comunidade”, no qual participaram Eduardo Jorge Madureira, jornalista e coordenador do projecto Público na Escola e Alfredo Oliveira, director do jornal Reflexo e professor do Ensino Secundário. O encontro teve lugar também no Fórum Fnac de Guimarães e contou com a presença de cerca de 60 pessoas, na maioria professores e alunos das escolas que participaram no IV Concurso de Jornais Escolares.