PUB
Freguesia de Barco – Os candidatos
Quarta-feira, Setembro 14, 2005

Três candidatos para as próximas autárquicas. Pelo PS, Américo Freitas, pelo PSD, Joaquim Rodrigues e pela CDU, Carlos Rodrigues.


Carlos Rodrigues – CDU

Carlos Alberto Rodrigues é, pela segunda vez, o candidato da CDU a uma freguesia que se tem revelado muito difícil para este partido. Este militante comunista, bombeiro e com 39 anos de idade, tem consciência dessas dificuldades. Mas parte para estas eleições com a missão de alertar o povo para algumas situações menos positivas existentes na freguesia e com uma grande vontade de ajudar o partido.
Existem coisas que não estão bem, na opinião de Carlos Rodrigues, destacando duas áreas, a situação dos mais idosos e da juventude. “Caso venha a ser eleito vou lutar pela criação de um espaço onde os idosos possam passar o seu tempo de uma forma mais digna e confortável. Por outro lado, a juventude de Barco só tem o Grupo Cultural e Recreativo e a sua fanfarra. É muito pouco o que a freguesia tem para lhes oferecer”. O candidato da CDU defende a criação de um ginásio/pavilhão que possa cativar e atrair os jovens para a prática do desporto. “Temos muitos jovens que procuram praticar desporto noutras freguesias porque em Barco não têm essa possibilidade” Carlos Rodrigues entende que o actual presidente da Junta já deveria ter feito mais coisas pela freguesia. “Durante o Verão ainda temos o rio, mas para os outros dez meses poucos espaços temos para passar os tempos livres” .
Apesar das dificuldades a nível eleitoral, Carlos Rodrigues não é um candidato abatido. “Não podemos desistir, vamos aproveitar a campanha para denunciar algumas situações e transmitir as nossas ideias ao povo. A CDU é um partido que está sempre a dizer e a mostrar a realidade, se o povo votar nas nossas listas, mais força teremos e mais poderemos fazer”.


Joaquim Rodrigues – PSD

“Por Barco, vencer e fazer”. Este é mote da campanha numa freguesia em que o PSD aposta numa vitória eleitoral. Joaquim Rodrigues aceitou este desafio, pois entende que o actual presidente está no poder “há demasiados anos”. Por outro lado, entende que existe demasiada promiscuidade entre a Junta, algumas instituições e algumas empresas. Refere três casos que não estarão devidamente clarificados. “Temos um terreno junto ao Avepark, designado por “Maninho” que ninguém sabe a quem pertence e existe uma outra situação similar na rua de S. Martinho. Quanto à construção da casa mortuária, não sabemos de quem são os terrenos, não existe o aviso de construção e de licenciamento e nem se sabe os custos dessa obra. Não partilho desta forma de gestão da actual Junta. Tem processos que não são os mais adequados” .
Sobre o Avepark entende que a Junta não soube gerir da melhor forma este dossiêr. “Deixou andar as coisas de tal forma que temos esse projecto todo ele localizado em Barco e depois surge sempre como sendo das Taipas” .
Entende ainda que a freguesia deve ser gerida por pessoas que residam na freguesia, “não faz sentido ter um presidente de Junta que reside noutra freguesia e que não sente os problemas de Barco” .
A lista liderada por Joaquim Rodrigues aposta numa requalificação da zona em frente à igreja. “É uma vergonha o que se passa, os carros quase que entram pela igreja dentro, vamos dar outro enquadramento a esta zona” .
Joaquim Rodrigues tem consciência que os próximos tempos não serão fáceis. No entanto, caso vença as eleições, apostará também na criação de uma Sala de Dia para convívio dos mais idosos. A sua lista apresentará em breve o seu programa eleitoral a toda a freguesia.
Joaquim Rodrigues concorre para ganhar, e para que tal aconteça, segundo referiu, bastará que os eleitores do PSD e CDS que costumam votar nestes partidos para as legislativas, também o façam nestas autárquicas.


Américo Freitas – PS

É candidato a um quarto mandato consecutivo. Américo Antunes Freitas mostra-se com a mesma força e empenhamento manifestado no primeiro mandato. Este independente da lista do PS refere que este mandato será para terminar algumas obras já iniciadas e para lançar novos projectos, pois “Barco não pode parar” .
A nível de equipamentos aponta a conclusão da capela mortuária (que colmatará uma grande necessidade da freguesia) e o lançamento e alargamento de espaços de lazer e desporto. A área de lazer e desportiva da Seara sofrerá uma intervenção no sentido de proporcionar uma maior comodidade aos seus utentes e afirma que a área de lazer e parque desportivo de Muro será uma realidade.
Entende que a nível das instalações escolares a Junta tem estado atenta e que continuará a apostar em dotar a escola de boas condições de ensino.
Estará atento ao desenvolvimento do Parque de Ciência e Tecnologia, pois trará “fortes implicações neste meio”. Continuará a desenvolver esforços para serem criadas as acessibilidades necessárias a um parque desta natureza. Para esta questão e outras que ultrapassam os limites da freguesia de Barco, Américo Freitas defende um reforço do diálogo entre os presidentes de Junta das freguesias próximas. “Interesses comuns podem levar a decisões comuns, como foi o caso da aquisição do autocarro. Existem outras áreas por onde se pode avançar” .
A nível da freguesia, referiu que o avanço do saneamento vai obrigar à repavimentação de algumas ruas e nessa altura intervirão na drenagem das águas pluviais. O projecto final para mais quatro anos será apresentado brevemente a todos os habitantes de Barco.
Américo Freitas acredita que os eleitores de Barco lhe vão proporcionar uma nova vitória eleitoral, pois “as pessoas conhecem-nos”.

Artigos Relacionados