PUB
Expectativa e Confiança
Sexta-feira, Setembro 25, 2015

Portugal tem uma opção muito clara pela frente: prosseguir no caminho do progresso, da recuperação de todos os índices económicos, de recuperação da sua credibilidade externa e sobretudo, de devolução da confiança aos Portugueses, ou poder voltar para trás com tudo o que conquistamos.

Em 2011, Portugal foi um país intervencionado.

O Governo anterior, do PS, teve que pedir a intervenção externa para evitar a bancarrota do País. Tínhamos dinheiro para pagar apenas 3 meses de salários à função pública. Era o Ministro das Finanças que o dizia. Esta era a situação com que o nosso País se confrontava, há apenas 4 anos atrás. E todos sabemos quem estava no Governo quando isso sucedeu.

Por isso a austeridade não foi nunca uma escolha deste Governo. Nunca foi uma opção política. Foi a consequência da irresponsabilidade de quem nos governou antes.

Hoje, Portugal é um País vencedor. O desemprego está no nível mais baixo dos últimos 4 anos e meio. Baixou de 17,5% para 12,1%. E recuperamos mais de 175.000 empregos. A atividade económica atingiu agora em Julho índices que não conhecia desde 2008.

Portugal emite dívida com juros negativos, quando há 4 anos atrás pagaríamos juros de 11% para a emissão de dívida pública (juros que vinculam todas as empresas e cidadãos Portugueses).

Recuperamos a soberania financeira. Regressamos ao caminho do crescimento. As contas públicas estão em ordem. As exportações batem recordes. Tudo isto sem segundo resgate.

Vivemos nos últimos anos um período de retoma quase sem paralelo na nossa História. Foi à custa de muitos sacrifícios? Foi certamente. Mas conseguimos. Não foi o Governo que conseguiu, foi Portugal que conseguiu. Valerá a pena deitar agora tudo a perder?

Está na hora de seguir em frente e, finalmente, podermos olhar o futuro com expectativa e confiança. Porque ainda há muito para fazer.