PUB
Estudo científico analisa relações entre Alzheimer e alta tensão
Quarta-feira, Novembro 12, 2008

Artigo publicado numa revista científica norte-americana conclui correlação entre campos magnéticos das linhas de alta tensão e doenças neuro-degenerativas como a de Alzheimer.

Um estudo publicado numa revista científica, Journal of Epidemiology, referido na edição online do Público, levanta novas hipóteses de relação entre a exposição humana a campos magnéticos originados por linhas de alta tensão e doenças degenerativas como a Alzheimer.

De acordo com a notícia do Público , as conclusões do estudo basearam-se numa amostra de 9 mil e duzentos óbitos, dos quais vinte respeitavam a pessoas que tinham vivido mais de quinze anos nas proximidades de linhas de alta tensão.

As conclusões deste estudo não podem porém concluir categoricamente a existência de causa-efeito, tratando-se de mais um estudo com comprova a correlação de dois acontecimentos: a exposição à alta tensão a menos de 50 metros das linhas e os óbitos por Alzheimer. Não existem ainda suficientes evidências científicas para que esta relação seja reconhecida pela Organização Mundial de Saúde.

A rede de alta tensão tem motivado alguma preocupação por parte de populações e políticos. Também Guimarães existem vários casos em que a população está exposta àqueles campos magnéticos, o que motivou já algumas discussões entre as forças políticas locais.

Texto: Paulo Dumas

Artigos Relacionados