Está caladinho ou levas no focinho
Terça-feira, Agosto 7, 2012

Insurgir-se contra a discriminação negativa é um lema que não deve poupar ninguém. Existe discriminação negativa quando se trata pior o igual – pessoas, situações concretas – e, quando, cumulativamente, há o dever (legal ou moral) de tratar por igual o que é igual.

O Presidente do nosso município tem propalado, em diversos locais e situações, que o concelho de Guimarães tem sido discriminado (negativamente) na oferta educativa em relação e por comparação com o concelho vizinho de Famalicão.

Se tem razão nesse grito que tem lançado é motivo de outra análise e aprofundamento. No entanto, o Presidente da Câmara lançou o aviso, denunciou um problema, trouxe para a discussão um acontecimento de grande complexidade; e só por isso tem mérito. Porque temos que discutir, pensar, informar, duvidar (não é desconfiar sem razão), reflectir sobre as opções concretas em todas as matérias.

O Presidente da Câmara chegou a invocar o princípio do estado de direito para por em causa a aplicação imediata da lei dos compromissos, a sua oportunidade, racionalidade e adequação.
O Presidente da Câmara falou, repetiu – reunião de câmara e assinatura de protocolos com IPSS(s) – e tem todo o direito de fazê-lo no exercício daquilo que entende ser os interesses dos cidadãos e das instituições do concelho.

A nível nacional, o concelho de Guimarães, sempre em termos relativos, vale muito menos do que a expressão da freguesia de Caldelas atinge no concelho de Guimarães.

Por cá, as pessoas quando não estão satisfeitas, e têm muito motivos para não estar, protestam.

Os pisos das ruas estão uma miséria. E não são ruas quaisquer: é a Rua Comandante Carvalho Crato, a Rua da Faísca, a própria estrada municipal coincidente com a Rua Padre Silva Gonçalves e outras da nossa vila.

São ruas de intenso trânsito de pessoas e veículos automóveis; são ruas que deveriam ter outra atenção dos responsáveis porque contendem com um número elevado de utentes. E que fique bem dito: a responsabilidade das ruas é da Câmara Municipal de Guimarães. A junta de freguesia não tem competência nem meios que lhe permita acudir, por exemplo, à colocação de um novo piso.

Já teve esse arrojo que foi considerado ofensivo.
E nada mais resta aos órgãos e população da freguesia: protestar.

Protestar não quer dizer vitimização mas esta pode estar na origem daquela. Protestar não pode ser visto – como tem sido – como hostilização. Protestar não pode ser visto como um acto politico/partidário – como tem sido entendido.

Todas as vezes que a Junta de Freguesia das Taipas protesta ainda é pior – dizem.

Realmente a máxima do “está caladinho ou levas no focinho”, tem sido aplicada invariavelmente às Taipas.

E não é que durante muitos anos estivemos “caladinhos e levámos no focinho.”!!!

Estágio de Instrumentos de Cordas no Paço dos Duques
Terça-feira, Junho 21, 2011

De 27 de Junho a 2 de Julho a Academia de Música Valentim Moreira de Sá irá realizar, no Paço dos Duques de Bragança, um estágio de Instrumentos de Cordas (Violinos e Violoncelos), sob a orientação da professora Filipa Abreu.

No estágio participarão cerca de setenta instrumentistas e será uma forma de, num ambiente de trabalho e de convivência no período de início de férias escolares, os alunos poderem desenvolver as suas capacidades artísticas.

De referir que, de entre estes instrumentistas, as alunas Maria Inês Marques e Cláudia Carvalho, obtiveram, em Maio e Junho deste ano, prémios em Concursos Nacionais. A primeira, um segundo prémio (categoria D), no Concurso “Santa Cecília”, promovido pela Academia de Música Silva Monteiro, no Porto e a segunda aluna, um primeiro prémio (categoria E) no mesmo concurso e um segundo prémio no Concurso “Marília Rocha”, realizado em Vila do Conde.

Está um frio mais forte do que nos últimos dias. O alerta é amarelo!
Quarta-feira, Dezembro 20, 2006

O distrito de Braga está em alerta amarelo por causa do frio.

Quem o diz é o Instituto de Meteorologia, que “amarelou” nove distritos devido às baixas temperaturas.

O alerta amarelo (o segundo de uma escala de quatro) foi dado aos distritos de Braga, Vila Real, Bragança, Guarda, Castelo Branco, Portalegre, Évora, Beja e Faro.

Quinta-feira as temperaturas deverão subir um pouco, mas com esta alteração a inciar-se no sul do país.

Agasalhe-se bem e tenha cuidado com lareiras, aquecedores e outras fontes de calor.